[176 MILHÕES] Em nota, Veneziano rebate oposição e lista investimentos do Governo do Estado em Campina Grande

Um dos mais importantes motores da economia da Paraíba, Campina Grande está recebendo um total de R$ 176,1 milhões de investimentos em obras já concluídas, em andamento ou em licitação, principalmente nas áreas de infraestrutura, saúde e educação. Na opinião do senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), que também já foi prefeito de Campina, esses investimentos são fundamentais para a retomada do crescimento econômico do Estado.

“O mais importante entre esses investimentos é a construção do Centro de Convenções na nossa cidade, que contou com emendas de nossa autoria, está em fase de licitação e demandará um total de R$ 120 milhões. Mas é um conjunto de projetos que têm forte impacto nas demais regiões da Paraíba”, afirmou o Vice-Presidente do Senado.

“Além desse empreendimento, estão em curso os serviços de implantação do Arco Metropolitano Leste, facilitando a circulação de pessoas e mercadorias no principal eixo de transportes do Estado, que é a BR-230. O Arco está recebendo R$ 17,6 milhões em investimentos e é parte de um plano de obras em execução com recursos próprios, superior a R$ 813 milhões”, comemora o senador.

Segundo Veneziano, quando Campina Grande cresce, toda a Paraíba cresce. Por isso o Governo do Estado, diz ele, considera estratégicos e prioritários os investimentos na economia do município. “É o caminho da retomada econômica. Os investimentos foram ampliados em Campina exatamente para impulsionar a economia e gerar empregos agora, durante a construção, e mais adiante, quando superarmos a pandemia”, afirmou.

O senador também lamentou ataques de adversários políticos que tentam minimizar o pacote de novas obras recentemente lançado pelo governador João Azevêdo para várias regiões do Estado, no valor de R$ 435 milhões. “Além do Centro de Convenções e do Arco Metropolitano, Campina está recebendo a construção do Centro Integrado de Comando e Controle, assim como diversos projetos na mobilidade, na saúde e na educação de Campina. Entre obras concluídas, em andamento ou em licitação, são R$ 176,1 milhões. Infelizmente, a gente ainda vê críticas de deputado federal daqui de Campina, mas que não contribuiu com um centavo sequer de emenda parlamentar para que essas obras fossem realizadas”, salientou Veneziano.

[PARCERIA] Secretário Thiago Diniz enfatiza alinhamento entre a PMJP e o Governo da Paraíba

O Gestor falou das várias ações e dos esforços que João Azevêdo e Cícero Lucena têm promovido para enfrentar a Pandemia e cuidar do estado e do município.

Secretário Thiago Diniz em entrevista à
TV Master. Foto: Reprodução.

O Secretário Executivo da Participação Popular da Prefeitura de João Pessoa, Thiago Diniz (Cidadania), em entrevista ao Programa Agora Master, na tarde desta segunda-feira (05), falou sobre os investimentos que o Governo da Paraíba irá trazer para os municípios e enfatizou a parceria existente entre as duas gestões na política e na gestão administrativa do estado e da capital.

De acordo com Diniz, o Governador João Azevêdo (Cidadania) tem tido uma postura elogiável, mesmo diante de tanta oposição que tem enfrentado no tocante às ações preventivas na Pandemia.

“Esse lançamento hoje de um pacote de 435 milhões de reais pelo Governo do Estado… O Governador João Azevêdo, tem tido uma postura elogiável, a gente precisa registrar isso. Tem sido muito criticado por alguns segmentos, a gente sabe que é difícil, você enquanto governante pedir pra suspender determinadas ações ou serviços da nossa sociedade, mas é preciso fazer o registro da coragem, do desprendimento e do republicanismo que o Governador tem tido a frente dessa pandemia, preocupado realmente em salvar vidas, preocupado em fazer com que a Paraíba tenha o maior índice de vacinação. Nós somos o quarto lugar no Brasil atualmente, semana que vem possivelmente seremos o terceiro e por aí vai. Então, todo esse esforço do Governador neste momento também tem sido elogiado e a gente precisa destacar isso” – enfatizou o Secretário do Município.

Quando indagado sobre a relação de parceria entre a Prefeitura Municipal de João Pessoa e o Governo da Paraíba, o gestor da participação popular ressaltou o alinhamento entre os gestores nas ações de enfrentamento ao Covid-19.

“A parceria com o Prefeito Cícero Lucena é de grande valor para João Pessoa. Hoje, no lançamento desse pacote de 435 milhões foram anunciadas, por exemplo, algumas parcerias com a Prefeitura Municipal de João Pessoa, como a interligação ali entre os Bancários e a UFPB, nós vamos ter um viaduto no Distrito Industrial, então todas essas obras de mobilidade urbana em meio a pandemia são de ressaltar, são da gente encher os olhos e dizer: – caramba, que legal que isso tá acontecendo, mesmo em meio às dificuldades. E essa parceria ela tá só começando, diga-se de passagem” – comentou Diniz.

Cícero Lucena e João Azevêdo no Palácio da Redenção. Foto: AscomPMJP/Reprodução.

Thiago ainda enfatizou em sua fala, a importância do Vice-Prefeito, Léo Bezerra (Cidadania), nessa parceria entre Governo e Prefeitura.

“A Prefeitura Municipal de João Pessoa, o Prefeito Cícero Lucena, têm um elo que é o Vice-Prefeito, Léo Bezerra, que também tem feito um trabalho de destaque, não tem sido um vice-prefeito figurante, tem sido extremamente atuante e que tá presente em todas as ações da Prefeitura, mostrando engajamento, mostrando que é um jovem talentoso politicamente e que tem compreendido a necessidade da Prefeitura ter essa união. Esse não é um momento de briga, não é um momento de se discutir eleições de 2022” – argumentou.

O jovem secretário, que ocupa atualmente uma pasta extremamente estratégica, dada a proximidade com várias lideranças da cidade, por fim, falou sobre os caminhos para superar a pandemia do novo coronavírus.

“Esse é o momento da gente cuidar das pessoas, da gente observar as medidas protetivas tanto sociais como de prevenção da saúde, tocar o barco e consequentemente, sair desse mal o mais rápido possível. A gente não vai conseguir sair de outra forma que não seja através da vacinação, do isolamento social e da união de forças e por isso que eu destaco essa parceria entre Prefeitura e Governo do Estado que tem sido fundamental pra que a gente possa atravessar de forma menos degradável, uma pandemia como esta aqui no estado da Paraíba” pontuou.

Redação Gabinete Paraíba

[PROJETO DE FOME] Deputada Federal pelo RN, Natália Bonavides contesta valor do novo auxílio emergencial

Deputada Potiguar argumenta contra proposta irrisória do Governo Federal de auxílio para brasileiros e brasileiras.

Deputada Federal Natália Bonavides.
Foto: Reprodução.

A Deputada Federal Natália Bonavides (PT-RN), utilizou suas redes sociais nesta segunda (05), para contestar mais uma vez, o valor irrisório do novo auxílio emergencial proposto pelo Governo Federal, através do Ministro da Economia, Paulo Guedes.

A parlamentar argumenta que o novo valor do auxílio, em R$ 150,00, não irá ajudar na crise que as diversas famílias brasileiras têm vivenciado neste momento vulnerável da Pandemia da Covid-19.

“O que dá pra comprar no mercado com R$ 150,00 que alimente uma família por 1 mês? Essa é a conta que milhões de pessoas estão se fazendo. Enquanto isso, o governo Bolsonaro e o “centrão” negociam bilhões do orçamento público para atender aos seus interesses particulares” – tuitou a deputada.

Bonavides também declarou em seu Instagram que o Governo tem um projeto de fome e morte, assim como todos aqueles que têm acompanhado suas ações.

“Os mesmos que criaram um orçamento fictício para favorecer os aliados, são os que decidiram congelar salários, proibir concursos, vender empresas públicas e impedir um auxílio digno para que as pessoas possam tentar ficar em casa. Não é só um governo, é toda uma direita que é cúmplice desse projeto de fome e de morte” – disparou Natália.

Natália Bonavides em ação de solidariedade no RN. Foto: Ascom/Reprodução.

A Deputada tem promovido, em parceria com os movimentos sociais, nas últimas semanas, diversas ações no sentido de ajudar as famílias potiguares neste momento pandêmico. As ações incluem visitas às comunidades carentes, aos assentamentos e também arrecadação de alimentos para as pessoas mais carentes do Rio Grande do Norte.

Redação Gabinete Paraíba

[SOLIDÁRIO] PT da Paraíba inicia campanha de arrecadação de alimentos para família carentes

A campanha do PT visa beneficiar famílias carentes da capital pessoense e de todo o estado.

Card de Divulgação. Imagem: Reprodução.

Com base nos dados do Cadastro Geral de Desempregados (Caged), só no mês de fevereiro de 2021, o estado da Paraíba registrou mais de 13 mil demissões de trabalhadores e trabalhadoras.

Por causa da Pandemia do Coronavírus (Covid-19), muitas pessoas estão sem emprego fixo, dependendo apenas do auxílio emergencial do Governo Federal.

Diante disso, o Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras da Paraíba (PT-PB), decidiu iniciar no dia 31 de março uma campanha denominada “PT SOLIDÁRIO”, para arrecadação de alimentos para famílias carentes do estado. Segundo o Partido, “Quem tem fome, tem pressa.”

Uma das militantes da Juventude Petista e Colaboradora do projeto “Mesa de Leitura”, a estudante de Psicologia, Maria Heloísa, deixou uma mensagem nas redes sociais, convocando a população a ajudar a iniciativa.

“Exercite sua solidariedade e participe. Lançada dia 31 de março a campanha pretende arrecadar alimentos, roupas em bom estado de uso, repassar para entidades e movimentos sociais que desenvolvam ações com populações vulneráveis” – declarou a jovem estudante.

As pessoas que se interessarem em ajudar a campanha do Partido, devem deixar os alimentos na sede do PT, localizada na Rua Irineu Joffily, 127, no centro de João Pessoa.

Redação Gabinete Paraíba

Darko Hunter: o caçador de pessoas desaparecidas em São Paulo que encontrou quase 600 pessoas em 2020

Diretor na Divisão de Desaparecidos da Secretaria Municipal de Direitos Humanos faz rondas de skate, scooter e patinete atrás de pistas

SÃO PAULO – Precisou, chama o Hunter. DARKO HUNTER. É assim mesmo, em inglês e com maiúsculas, que o nome está escrito no seu crachá da Prefeitura. Um servidor público, digamos, incomum. “Hunter” (caçador, em inglês) tem a função de sair vasculhando a cidade atrás de pessoas desaparecidas. No ano passado ele ajudou a achar 579 delas. Mais de uma por dia.

Oficialmente, Darko Hunter é um “investigador social”. O posto: “diretor na Divisão de Desaparecidos da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania”. Nome pomposo, o do cargo. Também está lá no crachá.

No duro, Hunter gasta a maior parte do dia ralando, atrás do computador ou rodando por aí, à procura de 2.024 pessoas. Esse é, hoje, o número de chamados em aberto na capital paulista. Lista longa, ele sabe: “Não dá tempo de comemorar. É resolver um caso e partir para o próximo”.

Darko Vieira Cristiano tem 36 anos, reluta em informar o nome de batismo e mantém a barba e o cabelo com um corte meio hipster, apesar de a calvície começar a despontar. Incluiu o Hunter à identidade antes de entrar na Prefeitura, onde ajudou a implementar a Divisão a partir de 2014.

Fã de motos, chega de scooter à sede da secretaria, na Rua Líbero Badaró, bem no centrão de São Paulo, onde ocupa uma sala no 12.º andar. Em tempos normais, divide o espaço com dois assessores. Um está de férias. A outra, em home office. Sozinho, ele fica boa parte do dia de frente para quatro monitores. Foi ele o responsável por desenvolver um sistema que emite alerta toda vez que alguém da lista de desaparecidos faz cadastro em serviço público – o que dá mais resultado do que a investigação, assim, um por um na rua. “Bingou!”, é como se diz ao chegar um desses avisos.

O lugar de trabalho facilita as diligências. À Cracolândia, ele vai bastante. Outro hábito é acompanhar entregas de almoço para moradores de rua. Afinal, desaparecido também precisa comer. Fazia essas rondas de skate. Agora, trocou por patinete elétrico. Às vezes, dá a sorte de “bingar”. Caçar pessoas exige paciência, faro apurado e um celular extra, 24 horas no ar.

Trabalho

Em uma quinta-feira de janeiro, o aparelho tocou pela primeira vez às 11h09: “Divisão de Desaparecidos, bom-dia”. Do outro lado da linha, uma voz pedindo ajuda para descobrir o paradeiro da mulher de 60 anos que acabara de sumir. “Tá, e por que não foi feito B.O. de desaparecimento?”, Hunter perguntou. A resposta veio curta e ficou sem réplica. “Certo… Qual é o nome dela? Data de nascimento? E o nome da mãe?”

A praxe é ir jogando os dados no sistema ainda no meio da conversa. Se a pesquisa acusa algo (uma entrada no hospital, por exemplo), Hunter entra em contato e pede informações.

Para colher pistas em locais distantes, põe a jaqueta e sai com a scooter, furando o trânsito. Precisa ser rápido. No geral, as primeiras 48 horas são decisivas. Quanto mais o tempo passa, menor a chance de sucesso. Só que desta vez o feeling bateu diferente. Hunter respirou fundo e torceu o nariz: “Isso tá com cara de violência doméstica”.

Parte do trabalho é descobrir o motivo do desaparecimento. A maioria das ocorrências é de homem, pardo e com algum problema de saúde mental. Mas não é raro que a pessoa suma de vista após desavenças ou, no caso de mulheres, por correr risco em casa. Não deu outra. O cruzamento de dados “bingou”: a mulher que “sumiu” havia feito cadastro em um albergue horas antes e disse estar fugindo do agressor, o marido. 

Na caça de desaparecidos, uma investigação bem-sucedida nem sempre quer dizer devolver o procurado à família. No caso específico, a mulher foi encaminhada a um serviço de proteção. 

Imersão

Com cinco furos em uma orelha, dois na outra e mais de 20 tatuagens, Hunter gosta mesmo é de pilotar a moto ouvindo rock’n roll. De Raul Seixas a Radiohead. É assim que faz o trajeto de casa, em Parelheiros, extremo da zona sul, até o centro de São Paulo. Leva uns 50 minutos. Bate cartão na secretaria às 11 horas.

A mesa é uma bagunça. Tem papelada, meia dúzia de canecas, lupa, um microscópio em miniatura e dois maços de Chesterfield, marca mais barata de cigarro. Também deixa uma penca dos seus livros favoritos – entre eles, Diário de Um Jornalista Bêbado, escrito por outro Hunter, o Thompson. Na parede, um mapa da capital e 14 fotos de casos antigos sem solução. Neles, as vítimas têm as feições envelhecidas digitalmente. 

Uma  tatuagem de Hunter, na mão esquerda, é dedicada a desaparecidos. É uma fênix cujas asas, posicionadas para cima, formam um naipe de espadas do baralho. “Significa que a pessoa pode renascer e ainda ter um ás na manga.”

Além de procurar por paradeiros, a Divisão atua em outras duas frentes: localizar familiares de pessoas em situação de rua e de corpos anônimos no IML. O caminho inverso – achar a família, em vez do desaparecido – é mais fácil, segundo o próprio Hunter. Um truque aprendeu nos tempos em que trabalhou em ONG, entre 2007 e 2012. Foi lá que virou “caçador” e tentava convencer moradores de rua a ir para abrigos: “Tem de entrar na cabeça da pessoa”.

O investigador leva esse processo de imersão tão a sério que  chegou a dormir por duas semanas no Aeroporto de Congonhas, como se não tivesse casa. Isso, por sinal, é o que mais fisga sua atenção nos livros de Hunter S. Thompson. “O cara até entrou em uma gangue só para escrever sobre motoqueiro, pô”, comenta.

Na ONG, um dos primeiros casos foi de um sujeito que era chamado por todos de “Treze”. Termo pejorativo. Quer dizer “não bate muito bem”, “meio doidinho”, esse tipo de coisa. Sem contato com parentes, o rapaz morava na rua e acreditava namorar a apresentadora de TV Mariana Godoy. Hunter comprou a história.

Para ganhar confiança, fez a própria namorada escrever uma carta se passando pela jornalista e descolou uma montagem, no Paint mesmo, abraçado com ela. “Passei numa banca e comprei um jornal da China ou da Coreia, nem lembro direito. Aí, disse que Mariana Godoy estava viajando e pediu para ele confiar em mim”, conta o investigador. Funcionou.

Nas missões, já fingiu ser do “esquadrão antimáfia”, mensageiro de Deus e já resgatou até gente que jurava estar fugindo de um meteoro. “Esses casos foram tendo sucesso e eu fui aprimorando as técnicas”, explica. De tanto promover reencontro de famílias, chamou a atenção da Delegacia de Desaparecidos e da DHPP, com quem hoje faz parcerias. Pelos dados do Fórum Brasileiro de Segurança de 2019, só no Estado de São Paulo há hoje 21.175 pessoas desaparecidas. 

Hunter lida com 100 a 150 novos casos por mês. Em épocas de campanha de conscientização (com fotos de desaparecidos passando na TV Metrô), a demanda sobe ainda mais. 

Aos 19 anos, o estudante Samuel Gustavo de Andrade vivia na Vila São José, zona sul, e foi encontrar o irmão em uma festa. Era 9 de dezembro de 2017. Desde então, só foi visto por sete câmeras de vigilância que o flagraram andando, a passos largos e possivelmente em surto, ninguém sabe para onde.

“Nossa vida virou de ponta-cabeça”, diz o mecânico Sandro Andrade, de 54 anos, que largou o emprego e já percorreu mais de 50 mil quilômetros à procura do filho. Rodou por praças e favelas de São Paulo. Também viajou para o interior. Foi a Minas, Paraná e Santa Catarina. Nada. “Basta eu sonhar com uma pista que vou atrás.”

Andrade recebe ajuda de amigos na divulgação de cartazes e posts em redes sociais. Mas teve contato, ainda, com o lado menos solidário da coisa. “Já recebi telefonema pedindo dinheiro em troca de informação sobre o meu filho. Tem gente que se aproveita da situação para tentar extorquir, sabe?”

Durante as buscas,  conheceu muitos moradores de rua. Foram eles que indicaram o trabalho de Hunter: “Vira e mexe, aparece uma notícia e eu peço apoio. Ele checa uma informação aqui, dispara alerta ali. Ajuda bastante”, diz. “Procuro colocar pensamento positivo. Enquanto não encontro meu filho, espero que eles esteja sendo cuidado em algum lugar.”

Já investigou até caso na própria família

Hunter conta que é comum atender familiares de desaparecidos em feriado, fim de semana ou madrugada. Em dias de chuva, as ligações disparam. Procura ser atencioso. “Qualquer um pode passar por esse tipo de situação.”

Certa vez, aconteceu com ele mesmo. Tarde da noite, a mãe ligou dizendo que o marido foi ao pronto-socorro e não dava notícia. Hunter foi com a scooter até o lugar e viu, pela câmera, que o pai já havia saído. “Aí veio o estalo de procurar o hospital de referência. ‘Bingou’, mas poderia não ter ‘bingado’. Foram seis horas de agonia.” 

Com essa rotina, difícil é dar atenção à vida pessoal. O investigador já desistiu da graduação de Psicologia, após cinco semestres, e de Ciências Sociais, onde fez o primeiro. De uns tempos pra cá tem prometido a si mesmo “desligar mais” do serviço e até começou o curso de Filosofia. À noite, é o estudante Darko Vieira Cristiano Hunter. Sim, o “Hunter” também. Está lá na matrícula.

Fonte EstadãoFelipe Resk

[FILOSOFIA]Nova Acrópole convida para Aula Inaugural do Curso de Filosofia Prática nesta segunda-feira

O curso aborda as principais correntes filosóficas da antiguidade e é realizado à maneira clássica como um modo de vida.

Logo de Nova Acrópole. Imagem: Reprodução.

A Escola Nova Acrópole de Filosofia à Maneira Clássica convida as pessoas apaixonadas pelo conhecimento da filosofia e dos mistérios da vida a acompanharem, nesta segunda-feira (05), a Aula Inaugural do Curso de Filosofia Prática, às 20h, no Instagram da escola.

A Live será sobre filosofia grega, abordando o pensamento do filósofo Plotino.

De acordo com a publicação de Nova Acrópole, para Plotino, o mundo sensível é repleto de cores, texturas, cheiros e variedade de formas e corpos mas, além dessa multiplicidade, guarda-se a unidade.

“Plotino nos fala que devemos sempre procurar essa unidade, a essência que vela todas as coisas e está por trás da multiplicidade. Tudo tem, em si, uma essência pura” – explica a postagem no Instagram.

Para entender melhor o conceito de Unidade de Plotino programe-se e assista a live de hoje, através do Instagram: @novaacropolejoaopessoa. Acesse também o link para inscrição no Curso: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfKoBSeAAg1RDJ9AWUJ7S6wM4sLnJhW9lehRkgVEZjYFmBslA/viewform

Card de Divulgação. Imagem:
Nova Acrópole/Reprodução.

Sobre o Curso de Filosofia Prática

O curso de Filosofia Prática tem duração de 05 meses e aborda as principais correntes da Filosofia Antiga, das tradições grega, romana, chinesa, budista, tibetana, indiana e a filosofia existencialista. Para fazer a matrícula, basta entrar em contato com o telefone: (83) 9 8211-0246 (WhatsApp). As dúvidas também podem ser tiradas pelo Instagram da Escola.

Conheça alguns dos Temas do Programa

Filosofia Natural
A arte de aprender a viver;

O Ser Humano e o Cosmos
Os sete princípios da Natureza;

A Sabedoria da Antiga Índia
Leis que regem a vida. Simbolismo do poema Bhagavad-Gita;

Ensinamentos do Tibete
“A Voz do Silêncio”: um encontro com a Alma;

Ensinamentos do Buda
A superação da dor. O caminho do centro;

Sabedoria Chinesa
Confúcio, a conquista da harmonia;

Egito
O sentido da vida. Máximas de Ptahotep e Ani;

Grécia, grandes filósofos
Platão: Justiça e Liberdade. O mito da caverna;
Aristóteles: os valores éticos e a busca da felicidade;

Roma, filosofia estoica
Epíteto, Sêneca, Marco Aurélio;

A Escola Neoplatônica
Plotino e a busca da Unidade;

O Ser Humano e a Sociedade
Valores universais sobre a organização social, a educação e a convivência;

O Ser Humano e a História
A antiguidade da Humanidade e a importância da mitologia;

Práticas de psicologia
Desenvolver atenção, memória, imaginação e concentração.

Redação Gabinete Paraíba

Fundação Palmares reconhece duas Comunidades Quilombolas no Estado da Paraíba

As duas comunidades receberam nesta segunda a certificação do Governo Federal; estado comemora.

Logo da Fundação Palmares.
Imagem: Reprodução.

A Fundação Cultural Palmares do Governo Federal, reconheceu com a certificação, nesta segunda-feira (05), duas comunidades tradicionais quilombolas na Paraíba.

As comunidades que receberam o reconhecimento foram a de Ligeiro de Baixo, no município de Serra Branca e Roça Velha, na Rua Preta, no município de Camalaú. Ambas comunidades são remanescentes de Quilombos e estão localizadas na região do cariri paraibano.

Neste momento a Paraíba conta com um total de 45 comunidades quilombolas espalhadas em 28 municípios.

O Gerente Estadual de Equidade Racial, José Roberto, comemorou o feito como um avanço no que diz respeito à reparação histórica da perseguição e escravidão imposta ao povo negro na História do Brasil e da Paraíba.

Gerente de Equidade Racial, José Roberto. Foto: Governo da Paraíba/Reprodução.

“A Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana comemora as certificações e reafirma o seu compromisso para fortalecer as políticas públicas para as comunidades quilombolas e toda população negra da Paraíba” – destacou o gestor.

Card de divulgação. Imagem:
SEMDH/Reprodução.

Redação Gabinete Paraíba

[2022] “O meu nome está a disposição”, Secretária Ana Claúdia confirma participação no pleito eleitoral em 2022

A Secretária de Estado do Desenvolvimento e Articulação Municipal da Paraíba, Ana Claúdia Vital, em entrevista na tarde dessa segunda-feira (5) ao programa Agora Master, da TV Master, confirmou que o seu nome está a disposição para as eleições em 2022, para o cargo de Deputada Federal.

No entanto, na entrevista, Ana Claúdia afirmou que o seu foco nesse momento tem sido o trabalho na SEDAM, onde juntamente com toda equipe, tem construído junto a diversas Prefeituras do estado o Projeto de Construção de Galpões para a Coleta e Seleção de Resíduos Sólidos Urbanos, uma parceria com o Ministério Público do Estado e a FAMUP, que prevê um investimento de mais de 4 milhões de reais, que busca por fim aos lixões pelo estado, preservar o meio ambiente, gerar uma nova educação ambiental, dar dignidade e uma melhor renda aos trabalhadores que atuam com a coleta seletiva.

Instada sobre o pleito eleitoral em 2022, a Secretária, que é Presidente Municipal do PODEMOS em Campina Grande, confirmou seu interesse de participar do pleito na condição de candidata a Deputada Federal, respondendo também sobre as especulações de uma possível indicação de seu nome para ao lado do Governador João Azevedo, ser candidata a Vice-Governadora, Ana Claúdia se disse muito honrada, que nutre uma boa relação com o amigo João Azevedo e uma forte admiração e prestígio pelo trabalho do Governador João Azevedo, mas que ainda é cedo para pensar nessas possibilidades, tendo em vista que tais decisões passam pelo complexo debate entre todos que formam o grupo no qual participa, reiterando que nesse momento o foco é o trabalho como Secretária e, principalmente, o combate a pandemia.

Ana Claúdia ainda foi questionada sobre a possibilidade de assumir o mandato de Deputada Federal, na condição de primeira suplente, com o possível afastamento do Deputado Federal Damião Feliciano, que está em recuperação das sequelas da Covid-19, matéria essa veiculada em vários veículos de imprensa na manhã dessa segunda-feira (5), respondendo a questão, a Secretária disse que não houve nenhuma comunicação oficial por parte da Câmara Federal, nem tão pouco algum contato do próprio gabinete do Deputado Damião, que se preserva a não comentar sobre esse assunto, diante do fato de serem apenas especulações e que nesse momento priva pelo respeito a toda família e ao amigo Deputado Damião Feliciano, desejando a ele, desejo este de todos os paraibanos, a sua mais breve recuperação.

Redação Gabinete Paraíba

[OBRAS] Deputado Chió comemora anúncio do Governador de recuperação asfáltica da PB-079 em Areia

Governador anunciou pacote de investimento no valor de 435 milhões de reais. A ação no brejo é parte do pacote.

Deputado Chió. Foto: Reprodução.

O Deputado Estadual Chió (REDE) comemorou nesta segunda-feira (05), em suas redes sociais, o anúncio que o Governador João Azevêdo (Cidadania) fez na manhã de hoje, de recuperação asfáltica da PB – 079, dentro de um pacote de obras de mais de R$ 435 milhões em investimentos. Serão R$ 4,77 milhões investidos entre Alagoa Grande e Areia e R$ 8 milhões entre Areia e Remígio.

“Depois de tanta luta, assim como aconteceu com a estrada de Cepilho e de São Tomé em Alagoa Nova, hoje chegou a vez de Areia, Remígio e Alagoa Grande. Minha gratidão ao governador João Azevêdo, por mais esse pleito atendido.Comemora, Areia! Parabéns, Remígio! Parabéns, Alagoa Grande!” – celebrou o parlamentar.

Imagem do projeto. Foto: Reprodução.

O percurso que receberá a ação do Governo do Estado faz parte da Rota Turística PB-079, a conhecida Rota 79, a rota turística de Jackson do Pandeiro.

Imagem ilustrativa da Rota 79. Foto: Reprodução.

Redação Gabinete Paraíba

[LIBERDADE RELIGIOSA] OAB – PB promove I Jornada de Direito Religioso nos dias 06 e 07 de Abril

Evento é promovido pela OAB-PB e será realizado através do Zoom.

Card de Divulgação.
Imagem: OAB-PB/Reprodução.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), através da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa (COLIRE) realiza nesta terça (06) e quarta-feira (07), a I Jornada de Direito Religioso: A Educação como instrumento de enfrentamento da intolerância religiosa no Brasil.

O evento terá a participação de importantes juristas, a exemplo do Coordenador Executivo do IDAFRO – Instituto de Defesa dos Direitos das Religiões Afro-Brasileiras, o Dr. Hédio Júnior, a Advogada Vanessa Cunha Lima, que é Mestra em Direito Internacional Público e Europeu e o Advogado Alberto Batista, especialista em Direito Civil e Processual Civil. Além destes, integram a programação do evento, o Delegado Marcelo Falcone, o Presidente da OAB no estado, Paulo Maia e o advogado Franklin Soares, Presidente da COLIRE.

Franklin Soares ressaltou a importância do encontro para o debate inter-religioso no estado da Paraíba.

“A I Jornada de Direito Religioso é um evento extremamente importante e necessário para que possamos estimular o debate inter-religioso no nosso estado. A OAB – PB, por meio da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa, fica honrada em poder realizar este encontro. A programação é mais uma iniciativa que busca destacar a importância do direito como ferramenta de promoção da garantia constitucional à liberdade de culto. Queremos promover a paz, o amor, o respeito e a boa convivência entre os diversos credos religiosos existentes” – destacou o Presidente da Comissão.

Franklin Soares – Presidente da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da Paraíba.
Foto: Reprodução.

A Jornada terá início a partir das 19h15mim, desta terça-feira, por meio da plataforma online Zoom. As inscrições estão disponíveis através do site da Escola Superior de Advogacia da Paraíba. O evento concederá certificado de 5h para os participantes que obtiverem 80% de presença na formação.

Confira a Programação do Evento:

Dia 06/04/2021

19h15: Direito Constitucional – Defesa do Estado Laico Democrático de Direito (Hédio Júnior – PUC/SP);

19h55: Tratados Internacionais – Direito à Religião como Direito Humano (Vanessa Cunha Lima – Univ. Coimbra);

20h35: Direito Cível – Sopesamento entre Direitos Civis e Liberdade de Culto (Alberto Batista – Unipê).

Dia 07/04/2021

19h35: Direito Penal – Subnotificação e Desinformação em âmbito nacional (Marcelo Falcone – Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Homofóbicos, Étnico-raciais e Delitos de Intolerância Religiosa / DECHRADI);

19h55: Direito Trabalhista – Ministério Religioso em Ambiente de Trabalho (Paulo Maia – OAB/PB);

20h35: Legislação Extravagante (ECA, LGPD, ETC) Religião e sua Influência na Legislação (Franklin Soares – Inst. Damásio de Jesus/COLIRE – PB).

Acesse o link pra fazer a inscrição:

https://wdcom.zoom.us/meeting/register/tJUrd–qpjoiHd2fONqvRwT3LSomD95MTmb2

Redação Gabinete Paraíba