[MOVIMENTO ESTUDANTIL] DCE – UFCG e UNE entram com solicitação para que UFCG reabra cadastramento de documentos para estudantes do SISU

O Diretório Central dos Estudantes da UFCG e a União Nacional dos Estudantes, entraram com um pedido de solicitação na Universidade Federal de Campina Grande, para que a universidade possa reabrir o acesso ao cadastro de documentos dos estudantes do SISU 2021. A UFCG decidiu adiantar o calendário de cadastramento para os dias 17 e 18 de abril, último final de semana, datas essas que diferem do calendário oficial do exame, que já ocorre durante essa semana entre os dias 19 e 23, por conta disso muitos estudantes perderam o prazo e consequentemente suas vagas.

A Presidenta do DCE – UFCG, a estudante de Arquitetura e Urbanismo Daiane Araújo, informou que dezenas de estudantes procuraram a entidade, pois não conseguiram realizar o cadastro no período definido pela universidade, entre os motivos apresentados, as mudanças devidas as adaptações ao formato remoto, as dificuldades na utilização do sistema, falta de acesso as informações e problemas de comunicação sobre os novos prazos, a diferenciação em relação as datas do calendário oficial, como também as dificuldades de acesso à internet por parte de muitos estudantes.

Segundo Daiane, atualmente o DCE tem acompanhado um grupo de 70 estudantes que já procuraram a entidade solicitando ajuda para a resolução da situação, porém de acordo com ela, esse número pode ser ainda maior, tendo em vista que até o presente momento, o número de vagas preenchidas por alunos matriculados em muitos cursos não ultrapassam a marca de 50% de ocupação.

Impactos

De acordo com a entidade, a situação é de extrema relevância e preocupação, pois dentre os impactos que pode causar, inicialmente na vida dos próprios estudantes, que se preparam para a realização das provas em um momento complexo e de dificuldades vivenciadas por todo o ano passado, consequência da atual conjuntura em que todos vivemos, e sobretudo nos planos e sonhos desses estudantes, “isso implica em retardar por mais um ano o ingresso desses jovens na universidade, os sonhos que são sonhos de uma família também, que se preparou para esse momento”, comentou Daiane.

Uma outra preocupação que a diretora da entidade expõe, é que com a diminuição do número de matrículas, isso poderá implicar diretamente no planejamento da universidade, sobretudo na questão orçamentária, podendo gerar uma diminuição do envio de recursos para a manutenção das atividades, prejudicando outras áreas e investimentos em todo corpo acadêmico.

“Isso é gravíssimo, por que tem impactos no cenário em que a gente está, de uma conjuntura muito difícil, de ataques a educação, de desmonte na educação, perder o orçamento por um medida tão simples que a universidade pode tomar, é muito difícil!”

Solução

Segundo o DCE, a sugestão enviada por solicitação a Reitoria da UFCG, é que a universidade reabra o acesso ao envio das documentações, uma vez que não implica em novas alterações no calendário, tendo em vista que o prazo final oficial para envio dos documentos e matrícula dos estudantes se encerra no próximo dia 23, além de que o número de matrículas esperadas pelas coordenações de cursos seguem muito abaixo das expectativas e da preparação que os próprios cursos esperaram ter.

Confira a postagem do DCE nas redes sociais

Redação Gabinete Paraíba

Fala Juventude desta quarta aborda o Abril Indígena na Rádio Tabajara FM

Programa desta semana tem como pauta os desafios, sonhos e lutas das Juventudes Indígenas no Brasil e na Paraíba.

Darlly Tupinambá. Foto: Instagram/Reprodução.

Nesta quarta-feira (21), o programa “mais jovem” do rádio paraibano, o Fala Juventude, aborda a temática do Abril Indígena.

Com apresentação de Wéverton Correia e Heitor Marinho e trabalhos técnicos de Ivan Machado, o FJ desta semana entrevistará a jovem indígena do povo Tupinambá, Darlly Tupinambá. Ela é ativista ambiental, articuladora do Engajamundo e membro do Conselho Nacional de Juventude (CONJUVE).

O programa abordará os principais desafios, sonhos e lutas das Juventudes Indígenas no Brasil e quais as perspectivas futuras.

Card de Divulgação. Foto: Instagram/Reprodução.

Além da jovem tupinambá, participarão também do “rolê” do Fala Juventude, os jovens indígenas paraibanos, Bruna Tabajara e Itajybá Potiguara, representantes dos dois povos originários que ainda existem e resistem no estado da Paraíba.

O programa vai ao ar às 18h, na Rádio Tabajara FM 105,5, antes da Voz do Brasil.

Redação Gabinete Paraíba