Jovens estudantes do Unipê iniciam podcast para ajudar as pessoas a entender o Direito

Três jovens estudantes do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), lançaram nesta segunda-feira (21), a primeira edição do novo Podcast “JusCast”.

JusCast. Imagem: Reprodução.

A iniciativa parte da proposta de um dos componentes curriculares do curso de Bacharelado em Direito, para conceder horas complementares aos seus alunos concluintes e tem a finalidade de ajudar a população a entender, de maneira simplificada e descontraída, temas que geralmente são difíceis no meio jurídico.

O podcast comandado por Isaque Brandão, Antônio Neto e Ricardo Neto, promete traduzir toda a linguagem do juridiquês para o bom e popular português.

O primeiro programa foi ao ar pelo aplicativo SoundCloud, a partir de uma entrevista com o renomado Advogado e Professor de Direito, Hebert Durães, falando sobre os Impactos da pandemia da Covid-19 na Recuperação Judicial das Empresas.

De acordo com Ricardo Neto – um dos apresentadores do JusCast – a intenção é que o podcast seja difundido em outras plataformas de streaming.

“Estamos trabalhando para difundir este projeto e popularizá-lo, com a finalidade de ajudar as pessoas a compreenderem e aplicarem de maneira prática os conhecimentos debatidos nas questões do seu dia a dia. Iniciamos através do SoundCloud, mas temos em mente divulgar em outras plataformas como o Spotify, Deezer e outros aplicativos”, declarou.

Gravação do podcast. Foto: Reprodução.

Redação Gabinete Paraíba

Após vitória na Justiça, Sindicato dos Comerciários converte indenização de 150 mil reais em cursos para trabalhadores e dependentes

O Sindicato dos Empregados do Comércio de Campina Grande e Região oferecerá aos seus associados e dependentes a oportunidade da realização de cursos de capacitação e qualificação profissional, de forma gratuita, a serem promovidos pelo SENAC em Campina Grande. A iniciativa é fruto de uma vitória na justiça da entidade sindical, em comum acordo com o Ministério Público do Trabalho e a Justiça do Trabalho, onde os recursos provenientes de uma multa por descumprimento da legislação trabalhista aplicada a uma grande rede atacadista da cidade, serão convertidos para o custeio das aulas dos trabalhadores e trabalhadoras.

Segundo o Sindicato, a vitória na justiça por danos morais coletivos garantiu que parte da indenização fosse destinada as trabalhadoras que haviam sido afetadas diretamente pela ação da empresa, uma outra parte da indenização, no valor de 150 mil reais, seriam destinados ao Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Diante disso, a entidade apresentou uma petição pugnando para que os valores atinentes à indenização por danos morais fossem destinados para o custeio do projeto de Prestação de Serviços Educacionais de Cursos para comerciários e seus dependentes, a serem ministrados pelo SENAC, ao invés do envio dos recursos para o Fundo de Amparo, a sugestão foi acatada pela justiça, beneficiando assim a categoria.

De acordo com a decisão da Justiça, os cursos serão realizados em duas etapas, sendo a primeira no valor total de R$ 76.232,00 (setenta e seis mil, duzentos e trinta e dois reais), bem como que os pagamentos serão efetivados após a execução dos cursos, com a apresentação da fatura ao sindicato, a segunda etapa será realizada com a finalização da primeira e terá o mesmo custo apresentado.

Para o Presidente da entidade, José do Nascimento Coelho, a vitória na justiça e a possibilidade de reverter a indenização em cursos para a categoria, representam uma grande conquista, segundo Coelho, “o Sindicato tem prazer em agir em prol dos seus trabalhadores e trabalhadoras, do mesmo modo que agradece a justiça pela sensibilidade em poder reverter a indenização ganha no processo, em oportunidades para aqueles que buscam uma melhor qualificação profissional. Sabemos que o momento em que vivemos tem nos privado muitas vezes de seguir nos capacitando para o mercado de trabalho, acreditamos que essa oportunidade poderá abrir novas portas para aqueles que participarão.”

Cursos

Os comerciários de Campina Grande e seus dependentes vão poder participar, gratuitamente, de cursos de qualificação e capacitação, que serão oferecidos pelo SENAC – Serviço Social do Comércio. A primeira etapa consta de nove cursos, que serão iniciados no dia 05 de julho próximo, sendo ministrados no período da noite, das 19h às 20h30.

Confira a lista de cursos:

• Operador de Caixa
• Repositor de Mercadorias
• Assistente de Recursos Humanos
• Técnicas de Balconista de Farmácia
• Como Vender na Internet e Redes Sociais
• E-Commerce: Vendendo no comércio eletrônico
• Processos Logísticos de Armazenagem e Movimentação de Materiais
• Operação Logística no Varejo
• Aperfeiçoamento para vendedores de material de construção

Os trabalhadores do comércio interessados em participar da primeira etapa das capacitações devem ligar para (83) 3321-3765/9110-8652.

Redação Gabinete Paraíba

Secretária Ana Cláudia acompanha execução do Projeto Prato Cheio em Campina Grande e participa de entrega de mais 600 refeições

A Secretária de Estado do Desenvolvimento e Articulação Municipal (Sedam), Ana Cláudia Vital, juntamente com auxiliares e Vereadores, fez questão de acompanhar na manhã desta segunda-feira (21), a entrega de mais 600 refeições gratuitas às pessoas carentes de Campina Grande, que aconteceu no Largo do Açude Novo, através do “Programa Prato Cheio”, do Governo do Estado da Paraíba.

Acompanharam Ana Cláudia: o Secretário executivo da Sedam, Galego do Leite; o coordenador de gestão do Governo estadual, Valdé Silveira, além das vereadoras Jô Oliveira e Valéria Aragão.

O programa foi implantado há cerca de dois meses e vem matando a fome de centenas de campinenses que estão em situação de grave vulnerabilidade social, sobretudo pela ausência dos restaurantes populares e das cozinhas comunitárias, abandonadas pelo ex-gestor Romero Rodrigues e agora na administração do prefeito Bruno Cunha Lima. Ao todo, pelo Projeto Prato Cheio, são servidas 1000 refeições por dia, de segunda a sábado, de forma gratuita a população, são 200 refeições no café da manhã, 600 almoços e 200 jantas. O programa atingiu a marca de 52 mil refeições distribuídas ao longo de dois meses de atuação.

Antes de acompanhar a entrega das refeições, Ana Cláudia e auxiliares foram até o Restaurante Popular do Distrito dos Mecânicos, construído na gestão do então prefeito e hoje Senador Veneziano Vital, constatando a continuidade do abandono do local que já dura mais de 9 anos, sem nenhuma utilidade.

“A insensibilidade deste Governo é assustador. Fechou dois restaurantes populares e 9 (nove) cozinhas comunitárias há mais de 8 anos e mesmo diante da extrema necessidade gerada pela pandemia, nada faz pelo povo sofrido em termos de ação social”, lamentou Ana Cláudia.

Em seguida a Secretária esteve acompanhando a confecção das quentinhas do Projeto Prato Cheio, feita por profissionais habilitados, nas dependências da AABB, seguindo para entrega das refeições.

“Prato Cheio” – O programa distribui 1 mil refeições diárias para pessoas em situação de vulnerabilidade em Campina Grande, sendo 200 cafés da manhã, 600 almoços e 200 jantares, uma ação do Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Humano, que se une a outras ações da área de segurança alimentar da gestão do governador João Azevêdo.

Na cidade, o Governo da Paraíba já disponibiliza 1.500 refeições diárias no Restaurante Popular, o único da cidade, além de promover a entrega de cestas básicas para as famílias nesta pandemia.

Restaurantes Fechados – Na gestão de Veneziano como prefeito de Campina Grande a cidade ganhou dois restaurantes populares, sendo um no Centro, inaugurado em 2006; e outro no Distrito dos Mecânicos, inaugurado em 2009; além de 9 cozinhas comunitárias, instaladas no José Pinheiro, Malvinas, Galante, Bodocongó, Liberdade, São José da Mata, Pedregal, Jeremias e Catingueira, uma espécie de mini restaurantes populares. Ao todo, os restaurantes e as cozinhas forneciam mais de 7 mil refeições diárias. Todos foram desativados no início de 2013.

Redação Gabinete Paraíba com informações do Jornalista Josué Cardoso

[ATUAÇÃO] Vereadora Jô Oliveira apresenta 54 emendas ao projeto de LDO 2022

A Câmara Municipal de Campina Grande realizou no último mês uma série de audiências públicas para debater a Lei de Diretrizes Orçamentárias / LDO 2022 enviada pelo poder executivo. Após esse processo, a vereadora Jô Oliveira (PCdoB) apresentou 54 emendas à proposta, que pedem ajustes no que está sendo planejado para a saúde, educação, cultura, abastecimento de água na zona rural, entre outras pautas.

Das 54 emendas, 37 delas são para a saúde, 02 para a educação, 03 para assistência social, 01 para cultura, 02 para juventudes, 03 para a zona rural, 01 para desenvolvimento econômico, e 05 emendas aditivas ao texto principal da LDO.

Imagem divulgação Jô Oliveira

Segundo a vereadora Jô Oliveira, as propostas de emendas surgiram das discussões durante as audiências públicas e também do seu diálogo com diversos setores da sociedade civil organizada.

“A gente sempre busca dialogar e com a LDO não seria diferente. Ouvimos pessoas e organizações que trabalham com essas pautas aqui em nosso município, analisamos os dados disponíveis sobre a realidade de Campina Grande, e com isso, apresentamos algumas emendas que pedem ajustes no que já vinha sendo proposto pela prefeitura ou em alguns casos o acréscimo de algumas ações não previstas, mas que nos foram demandadas pela população”, destacou a vereadora.

A votação da LDO 2022, e das respectivas emendas apresentadas pela vereadora, deve acontecer na sessão da próxima terça-feira, 22 de junho, de forma remota, sendo transmitida pelo youtube.com/camaracgoficial.

Redação Gabinete Paraíba com ASCOM / Jô Oliveira

DENÚNCIA: SINTAB ACIONARÁ MPT PARA GARANTIR QUE A PREFEITURA ENTREGUE EPIs AOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE

O Sintab decidiu nesta segunda-feira, dia 21, que vai acionar o Ministério Público do Trabalho para exigir que a Prefeitura de Campina Grande garanta a entrega de EPIs (máscaras, álcool em gel, fardamento, etc.) aos profissionais da saúde. Após receber denúncias gravíssimas de negligência com a saúde do servidor e de tentativas frustradas de negociação com a Secretaria de Saúde, não restou outra alternativa para o sindicato.

Giovanni Freire, presidente do Sintab, alertou que se a Prefeitura insistir em negligenciar esta questão, os profissionais da saúde têm todo o direito de paralisar as atividades.

“Nesse momento de pandemia, é crucial que os trabalhadores tenham que se proteger do risco de contágio. Não somos obrigados a trabalhar colocando em risco nossas vidas”, disse Giovanni.

Os agentes de saúde ACE, a título de exemplo, só receberam máscaras de TNT uma vez em março de 2020. Durante todo esse período ficaram sem receber o básico da prefeitura (fardamento, álcool em gel, máscaras). Já para os agentes de saúde ACS, só disponibilizam 1 máscara por jornada de trabalho, quando a recomendação oficial dos órgãos sanitários é a troca de máscara a cada 3 horas. Para mais informações, entre em contato pelo fone (83) 3341-3178 ou pelo e-mail ascomsintabpb@gmail.com.

Confira a postagem das redes sociais:

Redação Gabinete Paraíba com ASCOM / SINTAB