Jovens estudantes do Unipê iniciam podcast para ajudar as pessoas a entender o Direito

Três jovens estudantes do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), lançaram nesta segunda-feira (21), a primeira edição do novo Podcast “JusCast”.

JusCast. Imagem: Reprodução.

A iniciativa parte da proposta de um dos componentes curriculares do curso de Bacharelado em Direito, para conceder horas complementares aos seus alunos concluintes e tem a finalidade de ajudar a população a entender, de maneira simplificada e descontraída, temas que geralmente são difíceis no meio jurídico.

O podcast comandado por Isaque Brandão, Antônio Neto e Ricardo Neto, promete traduzir toda a linguagem do juridiquês para o bom e popular português.

O primeiro programa foi ao ar pelo aplicativo SoundCloud, a partir de uma entrevista com o renomado Advogado e Professor de Direito, Hebert Durães, falando sobre os Impactos da pandemia da Covid-19 na Recuperação Judicial das Empresas.

De acordo com Ricardo Neto – um dos apresentadores do JusCast – a intenção é que o podcast seja difundido em outras plataformas de streaming.

“Estamos trabalhando para difundir este projeto e popularizá-lo, com a finalidade de ajudar as pessoas a compreenderem e aplicarem de maneira prática os conhecimentos debatidos nas questões do seu dia a dia. Iniciamos através do SoundCloud, mas temos em mente divulgar em outras plataformas como o Spotify, Deezer e outros aplicativos”, declarou.

Gravação do podcast. Foto: Reprodução.

Redação Gabinete Paraíba

Após vitória na Justiça, Sindicato dos Comerciários converte indenização de 150 mil reais em cursos para trabalhadores e dependentes

O Sindicato dos Empregados do Comércio de Campina Grande e Região oferecerá aos seus associados e dependentes a oportunidade da realização de cursos de capacitação e qualificação profissional, de forma gratuita, a serem promovidos pelo SENAC em Campina Grande. A iniciativa é fruto de uma vitória na justiça da entidade sindical, em comum acordo com o Ministério Público do Trabalho e a Justiça do Trabalho, onde os recursos provenientes de uma multa por descumprimento da legislação trabalhista aplicada a uma grande rede atacadista da cidade, serão convertidos para o custeio das aulas dos trabalhadores e trabalhadoras.

Segundo o Sindicato, a vitória na justiça por danos morais coletivos garantiu que parte da indenização fosse destinada as trabalhadoras que haviam sido afetadas diretamente pela ação da empresa, uma outra parte da indenização, no valor de 150 mil reais, seriam destinados ao Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Diante disso, a entidade apresentou uma petição pugnando para que os valores atinentes à indenização por danos morais fossem destinados para o custeio do projeto de Prestação de Serviços Educacionais de Cursos para comerciários e seus dependentes, a serem ministrados pelo SENAC, ao invés do envio dos recursos para o Fundo de Amparo, a sugestão foi acatada pela justiça, beneficiando assim a categoria.

De acordo com a decisão da Justiça, os cursos serão realizados em duas etapas, sendo a primeira no valor total de R$ 76.232,00 (setenta e seis mil, duzentos e trinta e dois reais), bem como que os pagamentos serão efetivados após a execução dos cursos, com a apresentação da fatura ao sindicato, a segunda etapa será realizada com a finalização da primeira e terá o mesmo custo apresentado.

Para o Presidente da entidade, José do Nascimento Coelho, a vitória na justiça e a possibilidade de reverter a indenização em cursos para a categoria, representam uma grande conquista, segundo Coelho, “o Sindicato tem prazer em agir em prol dos seus trabalhadores e trabalhadoras, do mesmo modo que agradece a justiça pela sensibilidade em poder reverter a indenização ganha no processo, em oportunidades para aqueles que buscam uma melhor qualificação profissional. Sabemos que o momento em que vivemos tem nos privado muitas vezes de seguir nos capacitando para o mercado de trabalho, acreditamos que essa oportunidade poderá abrir novas portas para aqueles que participarão.”

Cursos

Os comerciários de Campina Grande e seus dependentes vão poder participar, gratuitamente, de cursos de qualificação e capacitação, que serão oferecidos pelo SENAC – Serviço Social do Comércio. A primeira etapa consta de nove cursos, que serão iniciados no dia 05 de julho próximo, sendo ministrados no período da noite, das 19h às 20h30.

Confira a lista de cursos:

• Operador de Caixa
• Repositor de Mercadorias
• Assistente de Recursos Humanos
• Técnicas de Balconista de Farmácia
• Como Vender na Internet e Redes Sociais
• E-Commerce: Vendendo no comércio eletrônico
• Processos Logísticos de Armazenagem e Movimentação de Materiais
• Operação Logística no Varejo
• Aperfeiçoamento para vendedores de material de construção

Os trabalhadores do comércio interessados em participar da primeira etapa das capacitações devem ligar para (83) 3321-3765/9110-8652.

Redação Gabinete Paraíba

Secretária Ana Cláudia acompanha execução do Projeto Prato Cheio em Campina Grande e participa de entrega de mais 600 refeições

A Secretária de Estado do Desenvolvimento e Articulação Municipal (Sedam), Ana Cláudia Vital, juntamente com auxiliares e Vereadores, fez questão de acompanhar na manhã desta segunda-feira (21), a entrega de mais 600 refeições gratuitas às pessoas carentes de Campina Grande, que aconteceu no Largo do Açude Novo, através do “Programa Prato Cheio”, do Governo do Estado da Paraíba.

Acompanharam Ana Cláudia: o Secretário executivo da Sedam, Galego do Leite; o coordenador de gestão do Governo estadual, Valdé Silveira, além das vereadoras Jô Oliveira e Valéria Aragão.

O programa foi implantado há cerca de dois meses e vem matando a fome de centenas de campinenses que estão em situação de grave vulnerabilidade social, sobretudo pela ausência dos restaurantes populares e das cozinhas comunitárias, abandonadas pelo ex-gestor Romero Rodrigues e agora na administração do prefeito Bruno Cunha Lima. Ao todo, pelo Projeto Prato Cheio, são servidas 1000 refeições por dia, de segunda a sábado, de forma gratuita a população, são 200 refeições no café da manhã, 600 almoços e 200 jantas. O programa atingiu a marca de 52 mil refeições distribuídas ao longo de dois meses de atuação.

Antes de acompanhar a entrega das refeições, Ana Cláudia e auxiliares foram até o Restaurante Popular do Distrito dos Mecânicos, construído na gestão do então prefeito e hoje Senador Veneziano Vital, constatando a continuidade do abandono do local que já dura mais de 9 anos, sem nenhuma utilidade.

“A insensibilidade deste Governo é assustador. Fechou dois restaurantes populares e 9 (nove) cozinhas comunitárias há mais de 8 anos e mesmo diante da extrema necessidade gerada pela pandemia, nada faz pelo povo sofrido em termos de ação social”, lamentou Ana Cláudia.

Em seguida a Secretária esteve acompanhando a confecção das quentinhas do Projeto Prato Cheio, feita por profissionais habilitados, nas dependências da AABB, seguindo para entrega das refeições.

“Prato Cheio” – O programa distribui 1 mil refeições diárias para pessoas em situação de vulnerabilidade em Campina Grande, sendo 200 cafés da manhã, 600 almoços e 200 jantares, uma ação do Governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Humano, que se une a outras ações da área de segurança alimentar da gestão do governador João Azevêdo.

Na cidade, o Governo da Paraíba já disponibiliza 1.500 refeições diárias no Restaurante Popular, o único da cidade, além de promover a entrega de cestas básicas para as famílias nesta pandemia.

Restaurantes Fechados – Na gestão de Veneziano como prefeito de Campina Grande a cidade ganhou dois restaurantes populares, sendo um no Centro, inaugurado em 2006; e outro no Distrito dos Mecânicos, inaugurado em 2009; além de 9 cozinhas comunitárias, instaladas no José Pinheiro, Malvinas, Galante, Bodocongó, Liberdade, São José da Mata, Pedregal, Jeremias e Catingueira, uma espécie de mini restaurantes populares. Ao todo, os restaurantes e as cozinhas forneciam mais de 7 mil refeições diárias. Todos foram desativados no início de 2013.

Redação Gabinete Paraíba com informações do Jornalista Josué Cardoso

[ATUAÇÃO] Vereadora Jô Oliveira apresenta 54 emendas ao projeto de LDO 2022

A Câmara Municipal de Campina Grande realizou no último mês uma série de audiências públicas para debater a Lei de Diretrizes Orçamentárias / LDO 2022 enviada pelo poder executivo. Após esse processo, a vereadora Jô Oliveira (PCdoB) apresentou 54 emendas à proposta, que pedem ajustes no que está sendo planejado para a saúde, educação, cultura, abastecimento de água na zona rural, entre outras pautas.

Das 54 emendas, 37 delas são para a saúde, 02 para a educação, 03 para assistência social, 01 para cultura, 02 para juventudes, 03 para a zona rural, 01 para desenvolvimento econômico, e 05 emendas aditivas ao texto principal da LDO.

Imagem divulgação Jô Oliveira

Segundo a vereadora Jô Oliveira, as propostas de emendas surgiram das discussões durante as audiências públicas e também do seu diálogo com diversos setores da sociedade civil organizada.

“A gente sempre busca dialogar e com a LDO não seria diferente. Ouvimos pessoas e organizações que trabalham com essas pautas aqui em nosso município, analisamos os dados disponíveis sobre a realidade de Campina Grande, e com isso, apresentamos algumas emendas que pedem ajustes no que já vinha sendo proposto pela prefeitura ou em alguns casos o acréscimo de algumas ações não previstas, mas que nos foram demandadas pela população”, destacou a vereadora.

A votação da LDO 2022, e das respectivas emendas apresentadas pela vereadora, deve acontecer na sessão da próxima terça-feira, 22 de junho, de forma remota, sendo transmitida pelo youtube.com/camaracgoficial.

Redação Gabinete Paraíba com ASCOM / Jô Oliveira

DENÚNCIA: SINTAB ACIONARÁ MPT PARA GARANTIR QUE A PREFEITURA ENTREGUE EPIs AOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE

O Sintab decidiu nesta segunda-feira, dia 21, que vai acionar o Ministério Público do Trabalho para exigir que a Prefeitura de Campina Grande garanta a entrega de EPIs (máscaras, álcool em gel, fardamento, etc.) aos profissionais da saúde. Após receber denúncias gravíssimas de negligência com a saúde do servidor e de tentativas frustradas de negociação com a Secretaria de Saúde, não restou outra alternativa para o sindicato.

Giovanni Freire, presidente do Sintab, alertou que se a Prefeitura insistir em negligenciar esta questão, os profissionais da saúde têm todo o direito de paralisar as atividades.

“Nesse momento de pandemia, é crucial que os trabalhadores tenham que se proteger do risco de contágio. Não somos obrigados a trabalhar colocando em risco nossas vidas”, disse Giovanni.

Os agentes de saúde ACE, a título de exemplo, só receberam máscaras de TNT uma vez em março de 2020. Durante todo esse período ficaram sem receber o básico da prefeitura (fardamento, álcool em gel, máscaras). Já para os agentes de saúde ACS, só disponibilizam 1 máscara por jornada de trabalho, quando a recomendação oficial dos órgãos sanitários é a troca de máscara a cada 3 horas. Para mais informações, entre em contato pelo fone (83) 3341-3178 ou pelo e-mail ascomsintabpb@gmail.com.

Confira a postagem das redes sociais:

Redação Gabinete Paraíba com ASCOM / SINTAB

[NEGÓCIOS] Empresa portuguesa, HN Hit Nails investe no mercado brasileiro a partir de João Pessoa

HN Hit Nails – Brasil. Foto: Reprodução.

A Academia de unhas mais premiada de Portugal, a HN Hit Nails, deu início, entre os dias 09 e 13 de junho, a uma grande formação técnica internacional para profissionais da área de beleza, especificamente Nails Design, responsáveis pela beleza das unhas e designs modernos e arrojados.

Cila Santos, Bruno Rosado, Kleyson Silva e Sílvia Carvalho, líderes da HN Hit Nails em Portugal e Brasil. Foto: HN Hit Nails/Reprodução.

O local escolhido foi o Brasil e o município, João Pessoa, capital da Paraíba, cidade a partir da qual a empresa europeia deseja investir, com o objetivo de expandir os negócios para todo o país.

O evento teve a participação de cinco instrutores europeus, o Bruno Rosado (CEO da HN Hit Nails), Cila Santos (CEO da HN Hit Nails e Coach), Tânia Caetano (Master Educadora) Yanna Opazo (Master Educadora) e a Catarina Moreira (Master Educadora), além de alunos de diversos lugares da nação. A finalidade é formar instrutores para a qualificação de técnicos na área, para atuarem em vários locais do Brasil.

Anfitrião e responsável pela HN Hit Nails no Brasil, o empresário luso-brasileiro, Kleyson Silva, avaliou o evento de maneira muito positiva e como uma oportunidade para difundir o empreendimento em todo o território nacional.

“Foram dias de muito conhecimento técnico e preparação para o crescimento da nossa marca no Brasil, com uma gama de produtos destinados aos profissionais da área e tudo isso com o diferencial de mais de 13 anos de experiência no mercado internacional. Estamos abertos para parceiros e parceiras que queiram conhecer mais da nossa empresa”, destacou o empreendedor.

No Brasil, a marca é liderada pelo casal Kleyson Silva e Sílvia Carvalho e tem sede na Rua Eutiquiano Barreto, n° 512, sala 104, no bairro de Manaíra, mesmo endereço do estúdio Sílvia Carvalho Nails Design.

Sílvia Carvalho e Kleyson Silva.
Foto: Reprodução.

Para conhecer mais da HN Portugal-Brasil, os interessados devem entrar em contato pelo telefone: (83) 98677-7055 ou pelo e-mail: hnportugalbrasil@gmail.com. A marca também está disponível nas redes sociais, através do Instagram: @hnhitnails_brasil.

Redação Gabinete Paraíba

Em Guarabira, Rafaela e Raniery se reúnem e discutem projetos para o povo paraibano

Nesta quinta-feira (17), a Secretária Executiva de Juventude do Governo da Paraíba, Rafaela Camaraense (Cidadania), teve uma importante reunião com o Deputado Estadual, Raniery Paulino (MDB).

Rafaela Camaraense e Raniery Paulino.
Foto: Ascom/Reprodução.

O encontro entre os dois se deu na cidade de Guarabira, no brejo paraibano. De acordo com a gestora, a pauta principal da reunião foram as políticas públicas para os jovens da “Rainha do Brejo”, bem como para toda a região.

Ainda com base no que postou a Secretária em suas redes sociais, o tema não foi só juventude, mas segundo Rafaela, outros assuntos também estiveram presentes na ocasião.

“Falamos sobre assuntos de interesse do povo paraibano e de planos futuros para o nosso estado”, declarou Camaraense.

Para os analistas da política, fica uma boa questão no ar: será que vem aí uma casadinha entre o brejo e o curimataú para as eleições de 2022? Quem sairá a Estadual e quem sairá a Federal? Só o tempo dirá.

Rafaela Camaraense foi candidata a Deputada Estadual nas últimas eleições, obtendo 16.408 votos e ocupa hoje a primeira suplência, ao passo que Raniery Paulino foi eleito Deputado, no último pleito. Ambos são base do Governador João Azevêdo (Cidadania) e não escondem que já se preparam para as próximas eleições.

Redação Gabinete Paraíba

Soneto dos Irerês

Soneto escrito por Wéverton Correia, numa tarde próxima ao último dia dos namorados.

Irerê. Foto: Reprodução.

SONETO DOS IRERÊS

Sob uma tarde rosada
Enamorado a flertar
Com a Lagoa posada
E belos patinhos a nadar

Em minha cidade amada
No mundo, o meu lugar
Numa tarde de junho passada
Desperto, mas fico a sonhar

Eis o descanso dos Irerês
Recanto de paz e altivez
Lugar de todos que amam

Canto em bom português
Entre palmeiras e ipês
Como os poetas proclamam.

Lagoa dos Irerês.
Foto: Prefeitura de João Pessoa/Reprodução.

CURIOSIDADE

A Lagoa do Parque Sólon de Lucena, um dos principais cartões postais da cidade de João Pessoa, capital da Paraíba, anteriormente foi conhecida como “Lagoa dos Irerês”, uma denominação que se deu em virtude dos patinhos que nadavam em suas águas.

Até a década de 20, do século passado, o local ainda permanecia com este nome, entretanto, a partir da gestão do Presidente (Governador) Sólon de Lucena e do Prefeito Guedes Pereira – em meio a um processo de urbanização – a região passou a ser conhecida como Parque Sólon de Lucena, em homenagem ao gestor estadual da época.

Presidente Sólon Barbosa de Lucena.
Imagem: Memorial Virtual do TJPB. Reprodução.

Vereadora Jô Oliveira pede urgência na vacinação de trabalhadores de farmácias, supermercados, postos de gasolina e agências bancárias de Campina Grande

Atendendo a apelos e reconhecendo a importância da imunização dos trabalhadores de serviços essenciais a vereadora Jô Oliveira (PCdoB), através de requerimento de indicação já aprovado pela Câmara Municipal, pede a vacinação de profissionais que trabalhem em farmácias, supermercados, postos de gasolina e agências bancárias de Campina Grande.

Vereadora Jô Oliveira – PCdoB

Esses trabalhadores sempre estiveram expostos a contaminação pelo novo Coronavirus e nunca paralisaram suas atividades durante esse período de pandemia nem puderam exercê-las de forma remota como aconteceu com outros profissionais. São pessoas que atuam em serviços essenciais e que garantem o funcionamento do município e a oferta desses serviços à toda a sociedade, por isso a importância da sua vacinação.

Os trabalhadores de serviços essenciais são o público da quarta fase do plano de imunização municipal, juntamente com os profissionais de educação. Porém até o presente momento ainda não se abriu cadastro para vacinação desse grupo.

Segundo a vereadora Jô Oliveira, muitas pessoas que atuam nesses serviços a procuram constantemente nas redes sociais pedindo o apoio nessa pauta.

“A gente recebe muitas mensagens nas redes sociais, de profissionais que atuam em farmácias, supermercados, agências bancárias… pessoas que sempre estiveram trabalhando de forma presencial durante todo esse período de pandemia, e que, através de uma reivindicação justa, pedem que sejam vacinados nessa quarta fase de imunização. Atendendo a esses pedidos e reconhecendo a importância deles nós apresentamos essa indicação, pedindo que seja aberto cadastro para que esses profissionais possam se vacinar, e esperamos a sensibilidade do poder público nesse sentido”, destacou a vereadora.

Nesse momento, a Prefeitura Municipal de Campina Grande vem vacinando o público em geral, independente de função e comorbidades, e esses profissionais de serviços essenciais ainda não foram priorizados no plano de imunização.

Assessoria

[PSICOLOGIA] Invisibilidade Bissexual – Pela Dra. Letícia Melo

Continuando a temática do Mês do Orgulho LGBTQIA+, observei a necessidade de abordar um fenômeno que chamou minha atenção durante o desenvolvimento da tese. Nos resultados do questionário online que apliquei em 2019, respondido por 1.028 mulheres (cis e trans), 19% das participantes se identificaram como bissexuais. A porcentagem me surpreendeu, especialmente porque eu não encontrava nenhuma pesquisa que corroborasse esse dado (já que o Censo não pesquisa orientação sexual).

Em conversas com mulheres LGBTQIA+, fui levada a refletir sobre o fato de que as mulheres, em nossa sociedade, têm hoje mais liberdade para explorar sua sexualidade e se descobrir e assumir bi ou pan, diferente dos homens, já que a bissexualidade é incompatível com a masculinidade hegemônica.

A grande questão é que, por mais que as mulheres se vejam livres para descobrir sua bissexualidade, essa orientação sexual acaba por ser invisibilizada: quando assumem relacionamentos com homens, são identificadas como “hétero”; se assumem relacionamentos com mulheres, são identificadas como lésbicas. Mesmo dentro da comunidade LGBTQIA+ o B se torna invisível, quando se duvida da bissexualidade de alguém porque essa pessoa “só namora tal gênero” ou “só beija tal gênero em festas”. Entre os homens heterossexuais, a bissexualidade feminina é tratada apenas como fetiche. E, para fechar o combo da invisibilidade, há quem saia por aí afirmando que “todo mundo é bi”.

Não, nem todo mundo é bi. Essa afirmação é perigosa e se volta contra a comunidade LGBTQIA+, invalidando por completo sua luta.

A verdade é que não ser capaz de categorizar pessoas, não poder encaixá-las em “homo” ou “hétero”, incomoda muita gente. É por isso que a bissexualidade incomoda e é apagada das histórias. Se este homem beija homens e mulheres, é muito mais fácil apenas classificar ele como gay. Se essa mulher beija homens e mulheres, é mais simples só ver ela como hétero. A complexidade das pessoas nos assusta, e por isso tendemos a apagar de nossa visão aquilo que não se encaixa.

Mas o Movimento LGBTQIA+ existe para nos lembrar que as pessoas são mais diversas, complexas e maiores do que as caixinhas em que tentamos colocá-las.

Confira a postagens nas redes sociais:

Dra. Letícia de Mélo Sousa
Psicóloga (CRP/13 – 6856). Doutora e Mestra em Psicologia Social pela UFPB. Professora Adjunta na UNIFACISA
Pesquisadora nas áreas de gênero e sexualidade, violência contra a mulher e violência online.