IBAMA combate a exploração ilegal de madeira e lenha nativa no sertão da Paraíba e de Pernambuco

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – Ibama aplicou R$ 231.394,00 em multas e apreendeu 399 estéreos de lenha nativa e 171 metros cúbicos de madeiras serradas, durante ações de fiscalização da Operação Oito Furos, em execução no sertão da Paraíba e de Pernambuco.

Foto: Ibama.

A operação ocorre desde 16 de novembro e já resultou na lavratura de 19 autos de infração, sendo constatadas ocorrências de exploração ilegal de lenha nativa e madeira serrada, além do funcionamento clandestino de cinco cerâmicas ou olarias (fábricas de tijolos), as quais foram embargadas, devido funcionarem sem licenciamento ambiental e com consumo de lenha nativa sem o Documento de Origem Florestal – DOF. Um caminhão abordado com lenha nativa foi apreendido devido transporte sem DOF.

Os 171 metros cúbicos de madeiras serradas foram apreendidos em um depósito clandestino na cidade de Esperança. Essas madeiras são provenientes da Amazônia e entraram ilegalmente no Estado da Paraíba. O total da carga equivale a 7 caminhões de grande porte com carrocerias completamente abastecidas com madeiras serradas.

Quanto aos 399 estéreos de lenha nativa, a maioria foi flagrada no pátio de cerâmicas clandestinas. O total da carga equivale a 11 caminhões de grande porte com carrocerias completamente abastecidas com lenha.

As madeiras serradas e parte da lenha foram doadas às Prefeituras Municipais de Esperança, Remigio e Santa Cecília, para uso em programas sociais em favor da população.

A equipe de fiscalização constatou que a maioria das Cerâmicas ou Olarias vistoriadas funciona de maneira legalizada, tanto no licenciamento ambiental estadual e cadastro técnico federal, quanto com relação ao consumo de lenha nativa com DOF e lenha exótica da espécie algaroba, com nota fiscal. A algaroba vem sendo utilizada como alternativa à lenha nativa, o que reduz a pressão do desmatamento no bioma Caatinga, mantendo a eficiência da atividade econômica industrial de fabricação de tijolos.


Segundo o superintendente do Ibama na Paraíba, Dallys Henrique, “as infrações ambientais constatadas na operação, foram coibidas e punidas de maneira contundente pela fiscalização do IBAMA. Ficamos satisfeitos com o fato de a maioria dos empreendimentos vistoriados funcionar legalmente, com geração de emprego e renda, e uso sustentável de recursos naturais”.


Gabinete Paraíba com informações da Divisão Técnico-Ambiental da Superintendência do IBAMA no Estado da Paraíba

Secretária Ana Claúdia Vital visita obra de Galpão de Unidade de Triagem em Mataraca e conhece de perto exemplo de aplicação para o Programa Paraíba Mais Sustentável

A Secretária do Desenvolvimento e Articulação Municipal da Paraíba, Ana Claúdia Vital, esteve na manhã dessa quinta-feira (17) no município de Mataraca, no litoral norte do estado, para acompanhar a entrega e lançamento da obra de construção de uma Unidade de Triagem e Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos, a obra é uma iniciativa da Prefeitura de Mataraca e tem por finalidade substituir o antigo lixão da cidade. Modelo esse que Governo do Estado irá aplicar, através da SEDAM, no Programa Paraíba Mais Sustentável, lançado na última terça-feira (15) pelo Governador João Azevêdo, que visa à construção de 16 galpões de unidades de triagem.

George Coelho – Presidente da FAMUP, Egberto Madruga – Prefeito de Mataraca, Simone Negreiros – Secretária de Meio Ambiente de Mataraca, Galego do Leite – Secretário Executivo da SEDAM, Ana Claúdia Vital – Secretária da SEDAM

Estiveram também na solenidade o Secretário Executivo da SEDAM Galego do Leite, o Presidente da FAMUP George Coelho, representando o Ministério Público os Promotores Raniere Dantas e Francisco Sagres, os representantes da SUDEMA Itaberaba Junior e Elisete Andreoli, além de outras autoridades estaduais e municipais. O convite para a solenidade aconteceu por parte do Prefeito Egberto Madruga (PSB), que foi o responsável pela apresentação da obra e condução do encontro.

Tanto o Ministério Público Estadual, a FAMUP e a SUDEMA são parceiros da SEDAM na execução do Programa Paraíba Mais Sustentável, segundo a Secretária Ana Cláudia, o encontro na manhã de hoje serviu para conhecer de perto o trabalho executado pela Prefeitura de Mataraca, visitando in loco um modelo de galpão que será aplicado pelo projeto do Governo do Estado, com área de vivência, refeitório, área de triagem, escritório, área de compostagem e outras características.

A obra em Mataraca é uma iniciativa da Prefeitura e contou com a parceria da Caixa Econômica Federal, já o Programa Paraíba Mais Sustentável contará com recursos próprios do Governo do Estado, que giram em torno de 5,1 milhões de reais e que, nessa primeira etapa, irão construir 16 galpões, além de incentivar a formação de Associações de Catadores de Materiais Recicláveis e estimulando a educação ambiental nas cidades, gerando assim, benefícios ao Meio Ambiente, oportunidades de emprego e renda. Ao todo 72 municípios serão beneficiados pela iniciativa.

Redação Gabinete Paraíba

Governo do Estado lança programa Paraíba Mais Sustentável, com investimentos de mais de 5 milhões e benefícios para 72 municípios

O Governador João Azevêdo lançou na manhã dessa terça-feira (15), em solenidade realizada de forma virtual, o Programa Paraíba Mais Sustentável, que tem como objetivo dar fim aos lixões na Paraíba. A solenidade contou com a participação da Secretaria de Desenvolvimento e Articulação Municipal, Ana Claúdia Vital, do Secretário Executivo da SEDAM, Galego do Leite, do Presidente da FAMUP, George Coelho, do Promotor do Ministério Público da Paraíba, Raniere Dantas, demais auxiliares do Governo, autoridades e gestores e gestoras dos municípios paraibanos.

Live de Lançamento do Programa Paraíba Mais Sustentável

O Programa Paraíba Mais Sustentável, é uma iniciativa do Governo do Estado através da SEDAM, em parceria com a FAMUP e MPPB. Nessa primeira etapa serão investidos pouco mais de 5 milhões de reais, na construção de 16 galpões para a coleta e triagem de resíduos sólidos urbanos, beneficiando ao todo 72 municípios. O programa visa também a parceria e o trabalho das prefeituras na criação e consolidação de Associações de Catadores de Materiais Recicláveis, gerando emprego, renda e dignidade para essas pessoas.

Já em outra frente, o programa busca incentivar a implementação da educação ambiental nos municípios, a coleta seletiva de lixo, além de outras iniciativas.

A Secretária Ana Claúdia Vital foi a responsável pela exposição do projeto, detalhando a criação da proposta, o cronograma de trabalho, seus benefícios, a participação, funções e obrigações de cada ente envolvido. Ana Claúdia ainda agradeceu ao Ministério Público pela parceria e iniciativa da proposta, a FAMUP pela participação e ajuda na articulação junto aos municípios, ao Governador João Azevêdo pela sensibilidade em abraçar esse projeto, que segundo ela, é um sonho antigo e um trabalho de anos, desde quando esteve a frente da FUNASA e João Azevêdo, naquele período, era Secretário Estadual.

Secretária Ana Claúdia Vital – Secretaria do Desenvolvimento e Articulação Municipal

Confira a lista dos municípios beneficiados com o projeto Paraíba Mais Sustentável:

Unidade 1:

Malta
São José de Espinhares
Cacimba de Areia
Quixaba

Unidade 2:

Pocinhos
Areial
Puxinanã

Unidade 3:

Mari
Sobrado
Riacho do Poço
Caldas Brandão

Unidade 4:

Serra Branca
São J. Cordeiros
Coxixola
Parari
São João do Cariri
Gurjão

Unidade 5:

Sumé
Amparo
Prata
Ouro Velho

Unidade 6:

Taperoá
Assunção
Livramento
Salgadinho
Santo André

Unidade 7:

Picuí
Baraúnas
Sossego
Frei Martinho
Nova Palmeira
Pedra Lavrada

Unidade 8:

Princesa Isabel
Juru
Tavares

Unidade 9:

Lagoa de Dentro
Jacaraú
Pedro Régis
Duas Estradas
Serra da Raiz

Unidade 10:

Barra de São Miguel
Alcantil
Caraúbas
Congo
Riacho de Santo Antônio

Unidade 11:

Juazeirinho
Cubati
Olivedos
Tenório
São V. Seridó
Junco do Seridó

Unidade 12:

Remígio
Areia
Algodão de Jandaíra
Arara

Unidade 13:

Caaporã
Alhandra
Pitimbu

Unidade 14:

Boqueirão
Cabaceiras
Queimadas

Unidade 15:

Ingá
Riachão do Bacamarte
Itatuba
Serra Redonda
Mogeiro
Salgado de São Félix

Unidade 16:

Pedras de Fogo
Itabaiana
Pilar
São Miguel Taipu
S. José Ramos

Redação Gabinete Paraíba

[MEIO AMBIENTE] Governo do Estado fará lançamento do Programa Paraíba Mais Sustentável, que beneficiará 72 cidades pelo fim dos lixões na Paraíba

O Governador João Azevêdo fará o lançamento nessa próxima terça-feira (15), do programa Paraíba Mais Sustentável, que ocorrerá de forma virtual, através de uma Live transmitida pelo canal oficial do Governo no Youtube, a partir das 11h. O programa tem como objetivo acabar com os lixões no estado, com a construção de Galpões para triagem e coleta de resíduos sólidos urbanos, com investimento de mais de 5 milhões de reais e que beneficiará 72 municípios.

Imagem divulgação – Paraíba Mais Sustentável – Governo da Paraíba

O programa Paraíba Mais Sustentável é uma iniciativa do Governo do Estado da Paraíba, através da Secretaria do Desenvolvimento e Articulação Municipal – SEDAM, em parceria com o Ministério Público Estadual – MPPB e a Federação das Associações dos Municípios da Paraíba – FAMUP.

Nessa primeira fase, tem como finalidade a construção de 16 Galpões de Coleta e Triagem de Resíduos Sólidos Urbanos, que beneficiarão cerca de 72 munícipios, proporcionando também a parceria e o incentivo das prefeituras na criação de Associações de Catadores de Materiais Recicláveis, gerando emprego e renda, na implantação da educação ambiental e da coleta seletiva nas cidades, pela conservação do meio ambiente e pela melhoria nos índices de saúde pública.

O programa vem atender uma demanda antiga de vários munícipios paraibanos, que ainda se utilizam de lixões para o despejo dos resíduos produzidos nas cidades, o que tem gerado ao longo dos últimos anos uma cobrança pela adequação correta desse despejo, por parte do Ministério Público, com o intuito de fazer cumprir as normas corretas e de respeito com o meio ambiente.

Confira convite:

Cerimonial Governo da Paraíba

Redação Gabinete Paraíba

[OPINIÃO] Em artigo, Vice-Presidente do Senado Veneziano Vital defende energia solar como alternativa energética viável ao Brasil

O Vice-Presidente do Senado Federal, senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB) se posicionou favorável ao estímulo à produção de energia solar como alternativa viável ao Brasil. Em artigo escrito junto com dois especialistas no setor, Veneziano fala das dificuldades na produção de energia por outras fontes e os reflexos negativos que trazem para a economia do país.

O alerta, sobretudo, é com relação ao encarecimento da conta de luz por parte de energias produzidas a partir de fontes caras e poluentes como alternativas à escassez de água nos reservatórios hidrelétricos, realidade que frequentemente se repete e que está sendo vivenciada este ano pelo Brasil. “Não é à toa que os economistas e órgãos do governo têm ajustado para cima as expectativas de inflação para este ano por conta deste cenário”, diz trecho do artigo.

Senador Veneziano Vital – MDB/PB, Vice-Presidente do Senado Federal

Veja, abaixo, a íntegra:

“Mais energia solar, menor conta de luz para todos”

Por Veneziano Vital do Rego, Rodrigo Sauaia e Ronaldo Koloszuk

O novo aumento na conta de luz dos brasileiros com a atual e terrível bandeira vermelha, por conta do uso intenso das termelétricas fósseis, caras e poluentes devido à escassez de água nos reservatórios hidrelétricos, é um rolo compressor que passa, de forma indiscriminada e deliberada, por cima do orçamento das famílias e da competitividade das empresas. Não é à toa que os economistas e órgãos do governo têm ajustado para cima as expectativas de inflação para este ano por conta deste cenário.

O baixo nível pluvial na região Nordeste não é necessariamente uma novidade. Mas, segundo monitoramento do Operador Nacional do Sistema (ONS) nos 161 reservatórios espalhados no território nacional, a redução do índice de chuvas atinge todas as regiões brasileiras, sem exceção, deixando de ser um problema localizado para se tornar uma questão crônica e nacional.

Entretanto, o Nordeste tem se tornado parte da solução para diversificar a matriz elétrica nacional a partir de fontes limpas e renováveis e para garantir o abastecimento energético com segurança e viabilidade econômica. Atualmente, as usinas solares de grande porte são a sétima maior fonte de geração do Brasil, com empreendimentos em operação em nove estados brasileiros, em especial nos territórios nordestinos, como Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte), além de projetos no Sudeste (Minas Gerais e São Paulo) e Centro-Oeste (Tocantins).

No caso da geração própria de energia em telhados e pequenos terrenos de residências, comércios, indústrias e propriedades rurais, a chamada geração distribuída, a possibilidade de aliviar os custos de setor elétrico e, assim, reduzir a conta de luz de todos os brasileiros, é de igual ou até de maior relevância neste cenário.

Além de preservar água das hidrelétricas, a geração própria de energia solar contribui para a redução de despesas que encarecem a conta de luz de todos os brasileiros, reduzindo custos com infraestrutura de geração, transmissão e distribuição. Como se trata de uma produção de eletricidade junto ou próximo do local de consumo, também reduz perdas elétricas e diminui a utilização da geração fóssil, maior responsável pelas bandeiras vermelhas e pela emissão de poluentes do setor elétrico.

Na Paraíba, por exemplo, a geração própria de energia com a fonte solar acaba de ultrapassar a marca de 100 megawatts (MW), com 7.366 sistemas em operação e cerca de 12.350 consumidores atendidos, espalhados por 205 cidades. Ou seja, 91,9% dos 223 municípios paraibanos já possuem pelo menos um sistema solar fotovoltaico em funcionamento.

Conforme asseguram dados do ONS, os horários de maior demanda por eletricidade no Brasil acontecem no período do dia, entre 11h e 17h, em especial nos meses mais quentes do ano. Nesses momentos do dia, temos o sol brilhando intensamente e, por isso, a fonte solar contribui para aliviar a maior demanda do sistema.

Portanto, os benefícios proporcionados pela geração própria e energia solar ajudam todos os cidadãos e consumidores brasileiros, bem como a própria economia do País. Somente em 2020, o segmento foi responsável por R$ 11 bilhões em investimentos ao Brasil, em pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e pequenos terrenos. Com isso, gerou 75 mil novos empregos e mais renda a trabalhadores espalhados por todo o território nacional, em um dos momentos mais críticos do panorama econômico brasileiro.

Estes investimentos proporcionaram mais de R$ 2,9 bilhões em impostos aos cofres da União, Estados e Municípios, contribuindo para a recuperação financeira da administração pública, fortemente impactada no período de pandemia.

Tais atributos estão contemplados no Projeto de Lei (PL) 5829/2019, de autoria do deputado federal Silas Câmara e relatoria do deputado federal Lafayette de Andrada, que está pronto para ser votado na Câmara dos Deputados.

Com essa aprovação, a geração própria de energia com a fonte solar trará ao País mais de R$ 139 bilhões em novos investimentos até 2050, gerando mais de 1 milhão de empregos à população. Já a redução de custos com o uso de termelétricas representará mais de R$ 150 bilhões, além de uma economia de R$ 23 bilhões com menores perdas elétricas. São benefícios compartilhados com todos os consumidores na redução consistente e viável das contas de luz.

Veneziano Vital do Rego é Senador da República (MDB) pelo estado da Paraíba

Rodrigo Sauaia é CEO da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR)

Ronaldo Koloszuk é Presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR)

[CÂMARA SUSTENTÁVEL] Vereadora Jô Oliveira apresenta projeto para implantação do uso de energia solar, coleta seletiva e aproveitamento de águas da chuva na CMCG

Tornar a Câmara Municipal de Campina Grande um exemplo de espaço ambientalmente sustentável. Esse é um dos objetivos do Projeto de Resolução “Câmara Sustentável”, apresentado pela vereadora Jô Oliveira (PCdoB). O projeto institui a implementação do uso de energia solar, captação, armazenamento e uso de águas das chuvas, bem como da coleta seletiva de lixo no prédio da Câmara de Vereadores de Campina Grande.

O projeto apresentado pela vereadora Jô Oliveira, também revoga duas resoluções de 2017, que propunham o uso de energia solar e o uso de água das chuvas, mas que não apresentavam formas práticas de implementação dessas ações.

“As resoluções 046 e 047 de 2017 propunham a implementação de energia solar e de uso das águas das chuvas, mas não especificava de que forma isso poderia ser feito. Resolvemos apresentar esse projeto revogando estas resoluções e também ampliando as propostas, pois acreditamos que a coleta seletiva de lixo é uma ação importante e que causa um impacto positivo no meio ambiente”, destacou a vereadora Jô Oliveira.

O programa Câmara Sustentável pretende destacar a CMCG como um exemplo de diminuição da poluição e economia no consumo de água e energia, reduzindo os gastos e ajudando a poupar recursos naturais, além de contribuir com a limpeza urbana e a conscientização ambiental.

Redação Gabinete Paraíba com ASCOM / Jô Oliveira

TV Roda de Conversa promove debate com ambientalistas de JP no Dia do Meio Ambiente

Neste sábado (05), data na qual é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, o canal “TV Roda de Conversa”, promove por meio do YouTube, um debate que tem por tema: “Salvar nosso planeta é avançar no socialismo”.

Card de Divulgação. Foto: Reprodução.

Participam do debate, importantes ambientalistas de João Pessoa, a exemplo da Professora Universitária Paula Frassinete, do Teólogo e Poeta, Emerson Aguiar, do Especialista em Direito Ambiental, Françualdo Alves, além do Procurador e ex-Candidato a Prefeito da capital, Carlos Monteiro, da Rede Sustentabilidade.

Carlos Monteiro entrou em contato com a Redação do Gabinete Paraíba e deixou um convite especial para toda sociedade paraibana e para os ativistas pelo Meio Ambiente.

“Hoje participaremos, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, de um debate com a pauta da sustentabilidade ambiental e o papel da sociedade civil paraibana. Colocaremos no debate os princípios da Carta da Terra e o que podemos fazer pelos biomas da Caatinga e da Mata Atlântica, revitalização dos rios, proteção da vida marinha, resíduos sólidos, entre outros. Aguardamos todo o povo paraibano e em especial, aqueles que se dedicam à luta em prol do Meio Ambiente. Às 16 horas estaremos juntos”, declarou o Procurador.

Para mais informações, basta acessar as redes sociais da TV Roda de Conversa no Instagram, Facebook e no Twitter e para acompanhar o debate, que acontece a partir das 16h, basta acessar o canal do YouTube.

Redação Gabinete Paraíba

[MEIO AMBIENTE] Sudema comemora Dia da Caatinga com evento entre os dias 28 de abril e 01 maio

O evento visa debater as potencialidades do bioma da caatinga e como as pessoas devem preservar a fauna e flora desta vegetação.

Sudema. Imagem: Reprodução.

A Superintendência de Meio Ambiente da Paraíba (Sudema) irá realizar, entre os dias 28 e 1º de maio, uma série de atividades alusivas ao Dia da Caatinga, comemorado na quarta-feira (28).

No primeiro dia, será realizada uma mesa redonda na modalidade online, através da plataforma V4H, em razão das medidas de prevenção ao novo coronavírus.

De acordo com o órgão, o encontro terá início às 16h. A programação completa pode ser conferida no site da Sudema.

Banner do evento. Imagem: Sudema/Reprodução.

Dentre os convidados na programação, estão o diretor técnico da Sudema, Itaragil Marinho, que tratará do tema “Floresta de Caatinga na Paraíba”; o engenheiro agrônomo e zootecnista Ewerton Bronzeado, que falará sobre “A cultura do umbú gigante como uma alternativa para o Semiárido paraibano”; e o professor Frederico Campos, com o tema “Intervenções ecológicas em biomas: estratégias inovadoras para produzir água e alimento”.

Para participar do evento, será necessário realizar uma inscrição prévia, através do link: https://forms.gle/cU3GEe5CceYfx6Q57. Os participantes terão direito a certificado

Redação Gabinete Paraíba

[TIROU A MÁSCARA] Ex-Presidente da Comissão Nacional de Meio Ambiente da OAB desmascara Presidente Bolsonaro em vídeo

Advogada critica o Presidente por sua postura controversa diante dos líderes mundiais e pelas ações desastrosas da gestão do meio ambiente pelo Governo Federal.

Marina Gadelha no Conselho Federal da OAB. Foto: Instagram/Reprodução.

A Advogada Paraibana e Conselheira Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Marina Gadelha – Presidente da Comissão Nacional de Meio Ambiente do Conselho Federal da OAB, por aproximadamente 02 gestões (2016-2020) – desmascarou nesta quinta-feira (22), em vídeo veiculado em seu perfil no Instagram, o Presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido), diante de sua pífia participação na reunião da Cúpula de Líderes sobre o Clima, puxada pelo Presidente Estadunidense, Joe Biden.

Na postagem, a advogada que deixou a Presidência da Comissão de Meio Ambiente em meados de setembro de 2020, demonstra grande insatisfação pelo desprestígio do país no cenário global e lembra da importância que a nação brasileira já teve nos debates climáticos. Segundo Gadelha, “não somos mais aquele player tão relevante que já fomos”.

Marina argumenta que a fala do Presidente é totalmente controversa e distante do real e que o Brasil não é esse país que o gestor quer passar para a Comunidade Internacional.

“Também é muito importante destacar aqui a fala do Presidente da República, que na minha opinião, é completamente desconectada da realidade. Eu adoraria viver no Brasil que o Presidente Bolsonaro diz que é o Brasil atual, sob o aspecto ambiental. Ao contrário do que ele disse, os órgãos ambientais e os seus servidores estão passando por um momento extremamente difícil, com redução drástica no orçamento, com amordaçamento e redução dos poderes dos Servidores” – destacou Gadelha.

De acordo com a advogada, bem recentemente, inclusive, uma instrução normativa conjunta dos órgãos federais de proteção ao Meio Ambiente, como o Ibama e o ICMBio, proíbe os servidores de por exemplo, aplicarem um embargo à uma área ou a uma atividade que esteja cometendo uma infração ambiental.

“O servidor pode indicar uma necessidade de um embargo, mas essa necessidade, de acordo com a paraibana, precisa ser revista pelo superior hierárquico, para só assim ser aplicado, o que na prática, acaba inviabilizando esse tipo de medida que é extremamente importante para que o dano que esteja ali sendo observado não se perpetue” – declarou.

Outra questão levantada pela ex-Presidente da Comissão Nacional de Meio Ambiente, da OAB, foi a redução que nunca antes houvera acontecido, como no presente momento. De acordo com ela, “nunca esses órgãos tiveram uma redução tão drástica”.

Marina Gadelha também criticou em seu vídeo, a perseguição que o Presidente tem imposto aos servidores dos órgãos de Meio Ambiente. Ela cita o exemplo do ex-Presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), que fora demitido no início do Governo, após fazer denuncias contra o que estava acontecendo.

“No início da gestão do Presidente Bolsonaro, nós tivemos um apontamento do acréscimo de desmatamento e consequentemente de queimadas, denunciado pelo IMPE e o que presidente da República fez foi afastar o diretor do impe, que fez esse apontamento, que fez essa denúncia” – lembrou a Advogada.

Por fim, a advogada que é uma referência em Direito Ambiental em todo o país, disse estranhar o posicionamento controverso e os compromissos assumidos pelo Presidente do Brasil diante dos líderes das grandes potências mundiais, com relação à emissão de gases. Marina diz não acreditar nessas promessas feitas por Jair Bolsonaro, ainda mais se tratando de uma gestão do Meio Ambiente totalmente ligada aos interesses dos infratores.

“Contrariamente a isso tudo, [o Presidente] chega e se compromete com uma redução de 40% das emissões até 2030. Sinceramente, eu adoraria acreditar, mas é impossível, que nós conseguiremos atingir essa meta, diante desse quadro de redução das forças, e quando eu falo das forças estou falando de recursos econômicos e humanos, de que dispomos, dentro dos órgãos ambientais. Com o negacionismo e com o Ministro do Meio Ambiente ou Ministro contra o Meio Ambiente, se comportando como um verdadeiro defensor de infratores ambientais… Eu adoraria acreditar no que Bolsonaro disse a pouco no encontro do clima, mas sinceramente, acho que não consigo” – disparou Marina Gadelha.

Confira o vídeo da Advogada Marina Gadelha

Vídeo de Marina Gadelha. Fonte: Instagram.

Sobre o Discurso do Presidente Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro foi o último dos líderes a discursar no encontro. O Presidente Joe Biden não acompanhou sua fala. Vários jornais Brasileiros como o Estado de São Paulo, a Folha de S. Paulo, a CNN Brasil e outros veículos analisaram a fala do Presidente da República. A Agência Lupa de fact-checking também analisou o discurso de 07 minutos do Chefe do Executivo e encontrou diversos equívocos, bem como falas distorcidas e exageradas.

Redação Gabinete Paraíba

[MEIO AMBIENTE] Associação Guajiru promove campanha de proteção às Tartarugas Marinhas e contra o lixo nas praias

Ong inicia campanha de proteção às Tartarugas e dá dicas de como proteger o meio ambiente.

Associação Guajiru. Foto: Reprodução.

A Associação Guajiru começou no último dia 17 de abril, um mutirão de limpeza da praia, com o intuito de minimizar o impacto da grande quantidade de resíduos que chegaram no dia 14 deste mês às praias do litoral da Paraíba.

A iniciativa teve a participação dos voluntários do Projeto Mares sem Plástico, os apoiadores da Associação Guajiru e a Secretaria de Meio Ambiente de João Pessoa – SEMAM.

Mutirão na Praia. Foto: Instagram/Reprodução.

Após a ação, a Associação Guajiru, através do seu Projeto Tartarugas Urbanas, iniciou uma campanha nas redes sociais, para a coleta dos resíduos nas praias, com segurança e fazendo a destinação correta.

Segundo a ONG, os resíduos geram forte impacto ambiental, visto que dificultam a trajetória das tartaruguinhas da areia para o mar, além de liberar substâncias nocivas ao solo, à água e ao ar.

Tartaruguinhas. Foto: Reprodução.

Para participar da campanha, os interessados devem publicar nos storys do Instagram uma foto sua coletando o resíduo, destinando o lixo ao local correto ou separando os resíduos. Também devem usar as hashtags: “#SalveOsOceanos” e “#SalveAsTartarugas” e por fim marcar o perfil da associação: @tartarugas_urbanas.

Além da campanha nas redes, a Guajiru chama a atenção para dicas simples, mas essenciais na preservação do meio ambiente, como guardar o próprio lixo e descartá-lo em local apropriado, sempre que for à praia, separar os resíduos em casa, reduzir o uso de produtos plásticos, como copos, canudos e sacolas plásticas, trocando-os por produtos biodegradáveis.

Redação Gabinete Paraíba