[MULHERES] Vereadora Jô Oliveira propõe criação do Programa de Enfrentamento à Pobreza Menstrual em Campina Grande

Projeto da parlamentar visa beneficiar estudantes de rede pública municipal e mulheres carentes de Campina.

Vereadora Jô Oliveira. Foto: Ascom/Reprodução.

A pobreza menstrual é uma realidade ainda pouco discutida em nossa sociedade, mas que atinge a cada dia milhares de mulheres, meninas e homens trans em nosso país. Com intuito de combater essa triste realidade, que causa problemas de saúde e até evasão escolar, a vereadora Jô Oliveira (PCdoB) protocolou na Câmara Municipal de Campina Grande, o Projeto de Lei que Institui o Programa Municipal de Enfrentamento a Pobreza Menstrual – PMEPOM.

O projeto em linhas gerais visa instituir o fornecimento gratuito de absorventes higiênicos para estudantes das escolas da rede pública municipal, em situação de vulnerabilidade social e econômica, bem como para mulheres em situação de rua e que não possuem condições financeiras para compra de itens de higiene pessoal.

O artigo 4º do projeto institui para efeito de eficácia da lei o “absorvente higiênico” como um produto básico de higiene pessoal e um bem essencial. A vereadora JÔ Oliveira destaca a importância dessa ação, que para além de beneficiar as mulheres que mais precisam, também atua como uma medida de saúde pública.

“Disponibilizar o acesso gratuito ao alcance de quem necessitar é fundamental, pois absorventes higiênicos não são itens supérfluos e sim de necessidade básica, e que influem na saúde pública. Dessa forma é preciso que os mesmos façam parte do orçamento das unidades escolares, dos órgãos de acolhimento de pessoas em situação de rua, assim como fazem parte outros itens essenciais. Muitas mulheres podem ter problemas de saúde sérios pelo uso de itens não adequados durante o período menstrual, como panos sujos ou outros objetos”, destacou a vereadora.

Vereadora em sessão online.
Foto: Ascom/Reprodução.

Jô Oliveira ainda afirma que o projeto foi protocolado seguindo todos os trâmites da Casa de Félix Araújo e que deve entrar na pauta de votação em breve.

“O projeto deve passar pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa, e após esse parecer ele entrará na pauta de votação. Acreditamos que os vereadores e vereadoras terão um olhar sensível para essa situação, que afeta tantas mulheres pobres de nosso município”, enfatizou.

Redação Gabinete Paraíba com ASCOM/Jô Oliveira

[MULHERES] Projeto da Vereadora Jô Oliveira propõe criação de Mapa da Violência Contra a Mulher em Campina Grande

Segundo o aplicativo SOS Mulher PB os casos de violência contra a mulher na Paraíba cresceram 105,6%, sendo que a violência psicológica aumentou 132%, enquanto a física cresceu 53% e o abuso sexual teve uma ampliação de mais de 54%. Pensando na importância de ter esses dados sistematizados e acessíveis para facilitar a elaboração de políticas públicas no combate ao enfrentamento à violência contra as mulheres, a vereadora Jô Oliveira (PCdoB), propôs um projeto de Lei para a “Criação do Mapa da Violência contra as Mulheres de Campina Grande”.

Vereador Jô Oliveira (PCdoB)

Esse Mapa poderá viabilizar periodicamente estatísticas a partir das fontes oriundas das políticas públicas municipais, contribuindo assim para a construção de novas políticas públicas, com um caráter intersetorial e mais eficazes de acolhimento e proteção a essas mulheres em situação de violência. O mapa servirá também para auxiliar na identificação de diferentes perfis de mulheres e com isso evidenciar as prioridades e quais as melhores ações a serem tomadas.
Mas os dados do Mapa não ficariam apenas à disposição do poder público municipal, a ideia é que os dados coletados sejam centralizados na Coordenadoria da Mulher e disponibilizados para acesso de todos através de publicação no Semanário Oficial do Executivo e no site da Prefeitura.

A Vereadora Jô Oliveira destaca a importância de uma base de dados municipais que subsidie a realização de políticas públicas mais eficazes, segundo ela:

“Para um efetivo enfrentamento da violência contra as mulheres, é preciso ter informações que nos permitam visualizar a amplitude da realidade, saber o que foi feito, o que não foi e o que precisa fazer, quais as prioridades… O mapa servirá para isso, para subsidiar a elaboração de politicas públicas mais eficazes”, destacou. 

O projeto foi protocolado junto a Câmara Municipal e espera parecer da Comissão de Constituição e Justiça da Casa de Félix Araújo, para que possa entrar na pauta de votação nos próximos dias.

Redação Gabinete Paraíba com ASCOM Jô Oliveira

[CAMPANHA CAMARADA] Ativistas e Amigos arrecadam fundos para ajudar no tratamento de Saúde de Agamenon Sarinho

Militante social passa por grandes dificuldades de saúde e financeiras, devido ao alto custo do tratamento. Amigos pedem ajuda.

Agamenon Travassos Sarinho.
Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução.

Ao longo desta semana, vários amigos e ativistas dos movimentos sociais têm realizado uma campanha solidária, denominada “Campanha Camarada”, para ajudar no tratamento de Agamenon Travassos Sarinho, de 67 anos, que é servidor público aposentado pela UFPB, poeta e um importante militante social do estado da Paraíba.

Atualmente o Poeta e ex-Presidente Municipal do PCdoB de João Pessoa, passa por grandes dificuldades de saúde, pois foi acometido por um câncer no intestino, que o debilitou bastante. Os amigos correm com esforços para que a doença não se prolifere em outras partes do corpo.

Segundo informações, Agamenon passou pela cirurgia para retirada do tumor, mas está precisando fazer todas as sessões de quimioterapia em hospital particular, pois de acordo com os amigos, não possui plano de saúde e não conseguiu fazer nos hospitais públicos.

Todos os esforços se fazem necessários diante do quadro delicado pelo qual passa Sarinho, no qual a doença ameça se espalhar pelo fígado. Portanto, ele precisará terminar o tratamento quimioterápico e passar por uma nova cirurgia para impedir o avanço da doença.

O maior problema, contudo, é o custo do tratamento, que é de R$ 18.000,00 (dezoito mil reais), sendo seis sessões de quimioterapia, no valor de três mil reais cada. Um impacto financeiro significativo, ainda mais com as dificuldades impostas pela crise econômica e pela pandemia do novo coronavírus.

A ação promovida pelos amigos de Agamenon Sarinho pede qualquer tipo de ajuda financeira, para ajudá-lo em seu tratamento. Segundo eles, a o mais importante é o gesto de amor nesta hora difícil.

“O mais importante de tudo é saber que, apesar de financeira, esta ação levará junto a energia amorosa de quem é grato pela amizade de Agamenon Sarinho ao longo de todos esses anos. E isso, com certeza, é um maravilhoso medicamento que traz cura” – declara o apelo feito pelos amigos de Agamenon.

Veja o apelo dos amigos na íntegra e saiba como ajudar

Campanha Camarada “Agamenon Sarinho – Tratamento Solidário”

Agamenon Travassos Sarinho, 67 anos, é aposentado pela UFPB, mas mantém ativas as suas ideias e fortalecidos os seus ideais. Continua no afã de movimentar as inquietações que caracterizam sua longeva trajetória militante em favor da dignidade de viver. E sempre foi assim. Nas searas da cultura, da luta sindical e nos embates cotidianos, sempre fez do afeto o esteio desta trajetória, construindo amizades e sedimentando o alicerce robusto de quem se dá ao ofício de construir suntuosos castelos de liberdade, entendendo este bem como um exercício coletivo.

Hoje, o companheiro de tantas batalhas luta contra um inimigo silencioso. Mas nada que o barulho de nossa agitada presença solidária não possa fazer para ajudá-lo em sua vitória. Depois de submeter-se a uma cirurgia no intestino para se livrar de um tumor, Agamenon está tendo que fazer seis sessões de quimioterapia em hospital particular, já que não tem plano de saúde e o tratamento por hospitais públicos não foi possível. E tudo se faz urgente. Ele precisa terminar o mais rápido possível esse tratamento quimioterápico para enfrentar uma outra cirurgia que o livrará de avanços da doença no fígado.

O impacto financeiro desse tratamento, já em curso, é de dezoito mil reais (seis sessões de quimioterapia de três mil cada), valor que, nem de longe, nosso companheiro dispõe no momento. E é por isso que vamos fazer girar todo o capital afetivo movimentado por ele em todos os momentos em que compartilhamos nossos sonhos. Para isso, dê sua contribuição, depositando qualquer valor possível na conta do Banco do Brasil, cujos dados estão abaixo.

Mas, o mais importante de tudo é saber que, apesar de financeira, esta ação levará junto a energia amorosa de quem é grato pela amizade de Agamenon Sarinho ao longo de todos esses anos. E isso, com certeza, é um maravilhoso medicamento que traz cura.

Conta Banco do Brasil
Agamenon Travassos Sarinho
Agência: 1619-5
Conta Poupança: 46439-2
Variação 51
CPF: 112.094.614-04

Redação Gabinete Paraíba

[ESQUERDA UNIDA] Presidente do PSOL na Paraíba destaca criação de um bloco unitário contra o Bolsonarismo

Tárcio Teixeira, destacou a importância dos partidos e movimentos de esquerda se fortalecerem contra o Bolsonarismo na Paraíba.

Tárcio Teixeira (PSOL – PB). Foto: Reprodução.

O Assistente Social e Presidente Estadual do Partido Socialismo e Liberdade na Paraíba, Tárcio Teixeira, em seu site, destacou que esta última quarta-feira (10), foi “um grande dia” para o estado.

De acordo com ele, após escrever um texto (também publicado em seu site) ressaltando a “necessária Unidade da Esquerda”, o mesmo teria feito contatos com várias personalidades da esquerda paraibana, propondo uma reunião para discutir a unidade do bloco de partidos de no estado.

Tárcio salientou que a proposta foi muito bem recebida por todos e todas e a reunião foi realizada com bastante êxito, justamente nesta quarta-feira, com a presença de Simão Almeida e Gregória Benário, representantes do PCdoB, Emanuel Escarião e Rosilene, representantes da UP, as Deputadas Cida Ramos e Estela Bezerra, do PSB, o Vereador Marcos Henriques, além de Jackson Macêdo e Anselmo Castilho, do PT, bem como Áurea Augusta, Alexandre Soares Melo e ele próprio, representantes do PSOL.

O tema central da reunião foi a luta unitária pela Vacina para Todas/os, o retorno do auxílio emergencial sem redução do valor, a luta contra a carestia e o enfrentamento ao bolsonarismo representado na Paraíba por Romero Rodrigues (PSD), Bruno Cunha Lima (PSD) e toda a “oligarquia do atraso”, de acordo com o líder psolista.

O único ponto de divergência no encontro foi a posição do bloco com relação ao Governo Estadual, comandado pelo Governador João Azevêdo (Cidadania). Segundo Teixeira, “as organizações que não concordam em fazer parte deste, destacaram que o foco deve ser na unidade, essa composição, ou enfrentamento ao governo João, fica a cargo de cada organização.”

Tárcio também ressaltou alguns encaminhamentos retirados no encontro.

Os partidos resolveram ampliar esse debate para além das agremiações partidárias e realizar o seminário “Que Unidade Queremos”, que iniciará com fala de representantes do Fórum Pró-Campina e saudação das organizações presentes na primeira reunião da Unidade, em seguida a fala será facultada ao público. Serão convidadas/os para participar do Seminário: movimentos sociais, intelectuais e especialistas em diferentes temáticas. O evento estará aberto para pessoas e organizações que se entendam do campo progressista, defensores/as da democracia, opositoras/es ao Bolsonarismo.”

Por fim, o Presidente do PSOL Paraibano ainda fez um pedido, para que os interessados lembrem deste evento promovido pela Unidade de Esquerda da Paraíba: “Anote na agenda, Seminário “Que Unidade Queremos”, 31 de março de 2021, 19h. Pela Unidade da Esquerda”, declarou.

Redação Gabinete Paraíba