Em sessão histórica, Câmara Municipal de Itatuba instala Parlamento Jovem

A noite da última sexta-feira (17) ficará registrada na história de Itatuba. Treze jovens entre 13 e 17 anos foram diplomados e empossados na primeira turma do Parlamento Jovem da cidade. O projeto, que tem como objetivo o fomento à educação política, foi aprovado unanimemente pela Casa Legislativa após propositura do presidente Aécio Cavalcante (MDB), que celebrou o momento.

Ele destacou que os jovens parlamentares, conforme matéria aprovada, farão sessões semanais no plenário da Câmara e terão a oportunidade de apresentar projetos e requerimentos, de forma semelhante aos vereadores. Eles também acompanharão fiscalizações e passarão por oficinas de capacitação voltadas ao funcionamento do Poder Legislativo.

Presidente da Câmara Aécio Medeiros

“Um dos meus objetivos ao criar o Parlamento Jovem é capacitar para a promoção de melhores gestores no amanhã, desenvolvendo projetos que tragam crescimento e melhorias. Em breve, poderemos ter uma Câmara mais qualificada, um Conselho Tutelar mais qualificado ou qualquer área em que esses jovens possam estar inseridos, porque pensar e desenvolver políticas públicas reflete em melhorias em todos os setores. A cidade vai ganhar futuros gestores, futuros profissionais com mais preparo, responsabilidade ética, senso crítico, habilidade de diálogo e visão social, mais inclusiva e representativa”, assegura Aécio.

O presidente do Poder Legislativo municipal também destacou que essa será a primeira de três turmas planejadas para o biênio, sendo uma vitrine que trará incentivos para inserir as juventudes nas transformações sociais.

Os jovens parlamentares, de caráter voluntário, foram indicados pela Câmara Municipal, Conselho Tutelar, Secretaria Municipal de Educação e ECI José Rodrigues de Ataíde, através de critérios próprios, incluindo votação. Cada um deles escolheu áreas, adotadas como partido, para servirem de bandeiras durante a atuação no Parlamento Jovem.

Osvaldo Filho, jovem parlamentar de 17 anos, em seu discurso de posse, enalteceu a iniciativa do presidente Aécio e se emocionou ao relembrar as raízes da família de origem humilde e o poder transformador da educação. “Conhecimento é poder. Vamos juntos nessa construção de uma cidade melhor”, vibrou. Ele foi indicado pela Câmara e disse já ter uma grande quantidade de projetos que pretende apresentar, inspirado na vereadora Jô Oliveira (PCdoB), de Campina Grande, militante dos Direitos Humanos e minorias, que participou da solenidade e apresentou um pouco de sua trajetória, dos movimentos sociais à chegada à Câmara Municipal de Campina Grande.

Também estiveram presentes o Presidente Estadual da Juventude do MDB da Paraíba, Rique Peres, que proferiu palestra sobre os Direitos das Juventudes, o Secretário Executivo de Articulação Municipal da Paraíba, Galego do Leite, o vice-prefeito de Itatuba, Dedé França, secretários municipais, membros do Conselho Tutelar e gestores escolares, além da participação de toda a bancada de vereadores e vereadoras da cidade e familiares dos jovens parlamentares, que realizaram a entrega dos diplomas. “Pela permissão para que filhos e netos participem dessa iniciativa e maciça presença nesta ocasião, meu muito obrigado”, agradeceu o presidente Aécio aos pais e responsáveis, bem como aos colegas vereadores que aprovaram a matéria e a todos que estão contribuindo com o Parlamento Jovem.

A primeira turma de jovens parlamentares de Itatuba já iniciará as sessões na próxima sexta-feira (24) e no dia seguinte participará de oficinas, incluindo conhecimentos sobre o Regimento Interno.

_Assessoria de Comunicação / Parlamento Jovem de Itatuba_
_Sinaldo Luna_
_(83) 9 8707-9197_

CAMPINA GRANDE: PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DECIDEM EM ASSEMBLEIA PERMANECER EM ATIVIDADE REMOTA

Os professores do município decidiram em Assembleia permanecer em atividade remota após o anúncio da prefeitura de Campina Grande sobre o retorno às aulas presenciais nas creches e escolas da rede municipal na próxima segunda, dia 20. A decisão é resultado da fiscalização do Sintab, onde se constatou um agravamento das condições estruturais e de trabalho das unidades escolares, em estado de abandono, após 1 ano e meio de pandemia e nenhuma das reformas prometidas pela gestão municipal terem sido realizadas. O ofício informando sobre a decisão da categoria em permanecer em atividade remota já foi protocolado e enviado à SEDUC e a PMCG.

A denúncia repercutiu fortemente entre os professores e servidores do apoio, que rechaçaram a tentativa da Secretária de Educação (SEDUC) em impor um retorno presencial sem considerar os riscos sanitário às vidas das pessoas. Na maioria das escolas, o Sintab encontrou salas de aula sem ventilação, banheiros que não funcionam, pias quebradas, além da falta de equipamentos de proteção individual (EPI), em desacordo com o Protocolo para o Retorno das Aulas Presenciais elaborada pela própria SEDUC.

Para o presidente do Sintab Giovanni Freire, a situação é tão grave que tem escolas que precisam ser demolidas e construídas novamente. “O mais grave é que as escolas não passaram por nenhuma intervenção estruturante. Somente coisas pequenas, como marcação no chão. Por isso tomamos a decisão de fazer as visitas e elaborar um relatório técnico para ser apresentado ao Ministério Público, Conselho Municipal de Educação e a SEDUC”, explicou.

Até o momento foram visitadas 22% das escolas e creches da rede municipal. De acordo com Mônica Santos, vice-presidente do Sintab, “estamos preparando um formulário minucioso. Temos fotos de todas as instituições que estamos visitando. A maioria das escolas não comporta sequer o número de alunos de 50% com distanciamento previsto de 1,5m, sem ventilação e basculantes que não abrem. Tem escolas que a sala de aula é um forno”, criticou.

Franklyn Barbosa, diretor do Sintab, lembrou que durante todo esse período da pandemia a prefeitura não capacitou os professores para o modelo remoto, não forneceu celular, computador e nem internet para os mesmos ministrarem as aulas remotas. “A prefeitura economizou durante toda a pandemia. Para onde foi esse dinheiro? O que a prefeitura está fazendo com esse dinheiro? As imagens são muito fortes e chocantes. Se você não se indignar com isso, vai se indignar com o que?”.

Já Napoleão Maracajá, diretor de comunicação, destacou a falta de sensibilidade da gestão com os trabalhadores da educação e alertou: “Ao colocar alunos e trabalhadores num ambiente de risco, a SEDUC se torna responsável pelo que acontecer com eles”. Napoleão também se referiu à injustiça cometida com os servidores do Apoio: “estamos defendendo que as aulas continuem remotas por razões óbvias, mas os servidores do apoio estão sendo obrigados a irem para as escolas”, disse na ocasião.

É importante ressaltar que a decisão desta Assembleia é válida somente para a categoria do magistério. Os servidores do Apoio da Educação, por força de decisão judicial, retornaram ao trabalho nas escolas. Porém, ficou decidido que este retorno acontecerá somente após a conclusão do ciclo de imunização vacinal e a disponibilização dos EPIs no ambiente de trabalho, como preconizado no Protocolo de Retorno, em Requerimento Administrativo disponível para imprimir no site do Sintab. Para mais informações, entre em contato pelo fone (83) 9-9663-1398 ou através das redes sociais do Sintab no Facebook e Instagram.

[COMÉRCIO] Mesmo sem acordo para nova Convenção, Sindicato dos Comerciários garante fechamento do comércio de Campina Grande no Dia dos Comerciários e benefícios para a categoria

Nessa última quinta-feira, a direção do Sindicato dos Comerciários de Campina Grande e Região, esteve reunida com a representação da categoria patronal, para a realização de mais uma rodada de negociações da Nova Convenção Coletiva de Trabalho da categoria. A negociação por sua vez não avançou, não havendo um consenso entre as partes. Segundo a direção da entidade dos trabalhadores, os comerciários do estado da Paraíba já possuem um novo valor do piso da categoria, sendo, lamentavelmente, os trabalhadores de Campina Grande os únicos prejudicados que ainda não possuem um novo valor salarial, ao que se dá, segundo a representação dos trabalhadores, por um processo de radicalização da categoria patronal, que em suas sugestões apresentam um grande retrocesso de direitos e propostas que não casam com a situação atual da categoria, como uma proposta salarial incompatível com o atual momento dos trabalhadores.

Representantes das categorias dos trabalhadores do comércio e patrões, em negociação na Justiça do Trabalho.

Com relação ao último feriado do dia 7 de setembro, a entidade dos trabalhadores em uma ação realizada de forma estratégica, entrou com uma ação na Justiça do Trabalho, onde a Juíza da 4º vara do trabalho julgou precedente e concedeu para que o comércio pudesse abrir, com o pagamento de abono aos trabalhadores de 50 reais mais uma folga, diferente do que pensava a categoria patronal, que esperava que a entidade fosse pedir pelo fechamento total do comércio, proposta que foi recusada outras vezes pela própria justiça em virtude do momento econômico atual, por isso a própria categoria de trabalhadores buscou garantir à abertura com os direitos garantidos ao pagamento de abono e folga.

Em razão dessa situação, o setor patronal buscou a entidade sindical para que houvesse um novo acordo para a garantia do Dia dos Comerciários, que ocorre no próximo dia 20. Ficando assim, o comércio de Campina Grande será fechado, com exceção das farmácias, que segue em processo de negociação.

Em virtude disso e em novo acordo, os trabalhadores que laboraram no último dia 7 de Setembro, terão o direito ao recebimento do abono de 60 reais ou uma folga. Segundo a entidade sindical, esse acordo se deu em razão da garantia da data histórica do Dia do Comerciário, realizado e formalizado na própria Justiça do Trabalho, mesmo ainda não havendo questão fechada em relação a Nova Convenção Coletiva de Trabalho da Categoria.

Para a entidade, o momento esse ano não será de festas ou comemorações, mas de muita reflexão e lutas, assim como de homenagens a todos os trabalhadores e trabalhadoras que perderam a batalha pra Covid-19, como uma jovem de 32 anos, funcionária de uma rede de supermercados da cidade, que faleceu recentemente vítima da doença.

Secretária Ana Claúdia Vital visita SINE Estadual em Campina Grande e conhece de perto ações do órgão pela Política Pública de Emprego e Renda

A Secretária do Desenvolvimento e Articulação Municipal do Estado, Ana Claúdia Vital, tem reservado todo início de semana para acompanhar as ações e iniciativas do Governo do Estado em Campina Grande e em outras regiões, dessa vez, acompanhada do Secretário Executivo Galego do Leite e do Coordenador de Gestão Dr. Valdé, Ana Claúdia esteve visitando nessa segunda-feira (28) a sede do SINE Estadual no município, com o objetivo de acompanhar de perto o trabalho aplicado pelo órgão, através de uma das iniciativas da Política Pública de Emprego e Renda do Governo do Estado. A comitiva foi recebida pela Coordenadora do SINE, Thaise Porto, e pela Gerente da Terceira Gerência do Desenvolvimento Humano, Socorro Falcão.

Secretário Executivo da SEDAM – Galego do Leite, Secretária da SEDAM Ana – Claúdia Vital

Em Campina Grande, o SINE Estadual é responsável pelo cadastro e encaminhamento de trabalhadores e trabalhadoras que estão em busca de uma oportunidade de emprego para as empresas parceiras e as que buscam o órgão diante da oferta de vagas. O SINE Estadual não paralisou suas atividades durante a pandemia, tem funcionado provisoriamente no prédio da Terceira Gerência do Desenvolvimento Humano, no bairro do Catolé, o atendimento acontece de segunda a quinta, das 8h às 15h.

Entre as atividades realizadas, o SINE Estadual atua no cadastro dos trabalhadores, na requisição do Seguro Desemprego e também na retirada da Carteira de Trabalho, além de outros serviços. O órgão divulga diariamente em seu perfil no Instagram (sinestadual.cg) o quadro de vagas disponíveis aos interessados. Durante os primeiros quatro meses de 2021, o SINE já realizou mais de 6000 cadastros, já captou mais de 1000 vagas de empregos, realizou mais de 1100 encaminhamentos e operou cerca de 1150 requisições do Seguro Desemprego.

Para a Secretária Ana Cláudia, “o SINE Estadual tem realizado um importante trabalho durante essa pandemia, em um momento de forte instabilidade econômica e onde muitas pessoas estão em busca de uma oferta de emprego, o SINE não paralisou suas atividades, demonstrando o compromisso com a Política Pública de Emprego e Renda e, principalmente, com os cidadãos e cidadãs da nossa cidade e municípios vizinhos, que estão em busca de uma oportunidade. Cabe ainda ressaltar o compromisso de toda equipe com o trabalho em prol daqueles que buscam o órgão, desde um excelente atendimento do momento do cadastro até o encaminhamento para as possíveis vagas.”

Segundo Thaise Porto, Coordenadora do SINE Estadual, o órgão deverá ainda nos próximos dois meses se mudar para uma nova sede que foi alugada e está sendo preparada para o público, ofertando mais comodidade no atendimento, mais recursos a equipe de trabalho, além de novos espaços que deverão ser utilizados para a oferta de novos serviços.

Thaise Porto – Coordenadora do SINE Estadual em Campina Grande, Ana Claúdia Vital – Secretária SEDAM, Socorro Falcão – Gerente da Terceira Gerencia do Desenvolvimento Humano, Dr. Valdé – Coordenador de Gestão, Galego do Leite – Secretário Executivo da SEDAM

Serviços

Os interessados em procurar os serviços do SINE Estadual e que ainda não possuem cadastro, deverão agendar através do telefone o atendimento, através do número (83) 9.91246492. O órgão divulga diariamente em seu perfil no Instagram (sineestadual.cg) as vagas disponíveis para preenchimento, além disso os usuários que já possuírem cadastro poderão realizar o atendimento online, pelo próprio Instagram, para concorrer as vagas.

Confira mais imagens do encontro:

Redação Gabinete Paraíba

[VISTORIAS] Secretária Ana Cláudia inspeciona obra de reformas no Centro de Formação de Educadores em Campina Grande

A Secretária de Estado de Desenvolvimento e Articulação Municipal (Sedam), Ana Cláudia Vital, juntamente com auxiliares e vereadores, inspecionaram nesta segunda-feira, 7, mais uma obra do Governo João Azevêdo em Campina Grande, desta feita nas reformas que estão sendo feitas no Centro de Formação de Educadores, no Bairro das Malvinas (ao lado do CAIC).

Acompanhada dos vereadores Anderson Pila (Podemos) e Jô Oliveira (PC do B), do Secretário executivo da Sedam, Galego do Leite, além do representante da obra, o Engenheiro Civil Wisley Fragoso, a Secretaria pôde verificar que estão sendo totalmente restaurados todos os blocos: o prédio principal (onde ficam as salas de aula), além do auditório, Ginásio, cozinha, entre outros.

“O Centro realmente precisava dessas melhorias, já que o prédio abriga ainda a Terceira Região de Ensino que atende muitos municípios. O prédio ainda vai ganhar adequações com acessibilidade e luminárias mais modernas”, destacou Ana Cláudia.

A obra, que foi iniciada há 30 dias e deverá ser concluída em 10 meses, está orçada em R$ 2.168.320,40. A capacidade de atendimento do Centro de Formação é para 400 alunos por turno, num total de 1.200 alunos por dia.

O centro foi concebido para capacitar cada vez mais os nossos professores para que usem todo o conhecimento e modernidade da matemática, robótica e outras áreas, ensinando os alunos das nossas escolas públicas para que eles tenham as mesmas oportunidades dos alunos da rede privada.

Estrutura- O Centro oferece uma estrutura com 10 salas de aula, biblioteca, bateria de sanitários masculino e feminino, biblioteca, auditório com capacidade para 400 lugares, recreio coberto, sala de educação física, sala de banda, refeitório, cozinha, despensa, diretoria, secretaria, coordenação pedagógica, salas de professores, arquivo, almoxarifado, videoteca, dois laboratórios de informática, além do laboratório de Química e de Biologia.

NOVAS VISITAS – A Secretária Ana Cláudia informou que novas visitas irão acontecer a obras do Governo do Estado em Campina Grande e em cidades próximas.

Com informações do Jornalista Josué Cardoso

[NOVO PISO] Sindicato dos Comerciários de Campina Grande lança Campanha Salarial 2021 com proposta de piso de R$ 1.294,00

O Sindicato dos Empregados do Comerciários de Campina Grande e Região, em Assembleia da categoria realizada no último dia 29 de maio, decidiu pelo valor do novo piso salarial, que será defendido pela entidade e tem o valor de R$ 1.294,00 a partir de 1º de julho, data base da categoria, diante ainda do processo de negociação do novo Acordo Coletivo de Trabalho da categoria.

A Campanha Salarial dos Empregados do Comércio do estado da Paraíba, foi lançada conjuntamente com os Sindicatos dos Trabalhadores do Comércio de Campina Grande, Patos e Cajazeiras, de forma virtual, em Assembleia realizada no dia 29 do último mês, o novo valor é fruto do debate entre a categoria. Aos trabalhadores que recebem acima do novo valor, os sindicatos representantes dos comerciários irão defender um aumento de 10% no valor salarial.

O Sindicato ainda reitera a permanência das clausulas econômicas e sociais, a exemplo do vale transporte, no novo acordo coletivo da categoria. Uma outra proposta é para que o Dia dos Comerciários seja reservado para a terceira segunda-feira do mês de setembro.

O Presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Campina Grande, José do Nascimento Coelho, explica que a Campanha unificada reforça a luta dos trabalhadores para sensibilizar os empregadores a atenderem suas reivindicações. A pauta aprovada na Assembleia Geral virtual, realizada no último dia 29, será encaminhada aos sindicatos patronais, para que seja avaliada e devolvida aos sindicatos dos trabalhadores, caso não havendo um retorno, o Sindicato se compromete a buscar os meios de mediação para que se possa firmar o novo Acordo Coletivo de Trabalho da categoria.

Redação Gabinete Paraíba

[DEBATE] Situação dos trabalhadores e trabalhadoras de Campina Grande é tema de audiência pública na CMCG

Na última quarta-feira, 05 de maio, a Câmara Municipal de Campina Grande realizou audiência pública para debater o dia do trabalhador. A propositura foi da vereadora Jô Oliveira (PCdoB), que trouxe para o debate a representação de diversos movimentos sindicais.

Durante a audiência, foram debatidos temas como o aumento do desemprego nesse momento de pandemia, que também influencia no aumento da pobreza e da fome; os direitos trabalhistas ameaçados pelo atual cenário político, a importância da vacinação prioritária para algumas categorias como os bancários e professores, entre outros aspectos.

Participaram da audiência a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Comitê Popular e Sindical de Luta Contra a Fome; Observatório do Trabalho; SINE Municipal; Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação da Paraíba (SINTEP); Central Única dos Trabalhadores (CUT); Força Sindical; Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil; Conselho Estadual dos Direitos Humanos; Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e Borborema (Sintab); Sindicato dos Trabalhadores da Saúde Privada do Agreste da Borborema; Sindicato dos Urbanitários; Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado da Paraíba (SINTTEL); e Sindicato dos Bancários.

Para a vereadora Jô Oliveira, o momento foi importante para aproximar a CMCG dos movimentos populares e sindicais, e ouvir as demandas da classe trabalhadora.

“Importante esse diálogo com várias representações dos trabalhadores e trabalhadoras, para que nós, enquanto Câmara Municipal, possamos construir junto com as pessoas, absorver estudos e dados sobre a área, conhecer a realidade de muitas categorias, e poder propor leis e requerimentos que de fato dialoguem com isso e sejam de utilidade pública”, destacou.

A vereadora também evidencia como fruto dos debates da audiência, a necessidade de reativar órgãos como conselhos municipais, que podem contribuir com o desenvolvimento de políticas públicas relacionados a melhoria de condições para os trabalhadores, além da importância da categoria também integrar as discussões sobre a revisão do plano diretor do município.

O Presidente do Sindicato dos Comerciários de Campina Grande e Vice-Presidente da CTB no estado, José do Nascimento Coelho, em entrevista a uma emissora de rádio local, também comentou a respeito da audiência.

“Essa audiência pública está trazendo muita reflexão aos trabalhadores. Estamos em um momento de muita luta e reflexão devido à pandemia e grande quantidade de mortes. Essa audiência trouxe uma discussão da média salarial, emprego e desemprego, para que essa casa busque políticas públicas para estes trabalhadores. Não é só gerar emprego, nós queremos emprego de qualidade”, afirmou.

Confira algumas imagens da audiência:

Redação Gabinete Paraíba com Ascom / Jô Oliveira

[TRABALHADOR] Com propositura da vereadora Jô Oliveira, CMCG realiza audiência pública para debater o dia do trabalhador

O trabalho é um direito de toda pessoa segundo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que também prevê que haja condições equitativas de trabalho, além da proteção contra o desemprego. Infelizmente, esse direito não é garantido a toda população, e para discutir questões como essas, na próxima quarta-feira (5), a partir das 10h, a Câmara Municipal de Campina Grande realiza audiência pública em alusão ao dia trabalhador. A propositura é da vereadora Jô Oliveira (PCdoB).

Jô Oliveira, Vereadora do PCdoB – Campina Grande

Nesse momento de pandemia e crise econômica, segundo dados do IBGE, no período de um ano (dez 2020 a fev 2021), o Brasil registrou recorde histórico de 14,4 milhões de pessoas em busca de emprego. E o público mais afetado são as mulheres e a população negra.

No último trimestre de 2020, a taxa de desemprego entre as mulheres foi de 16,4% contra 11,9% dos homens. Entre a população negra a taxa de desocupação foi de 72,9% nos últimos quatros meses de 2020.

Preocupada com esse avanço do desemprego, sobretudo nesse momento de pandemia, a vereadora Jô Oliveira trouxe a pauta para discussão na Casa de Félix Araújo.

“Nossa proposta é de que possamos dialogar com vários setores, poder público, centrais sindicais, movimentos… e outras organizações envolvidas diretamente com a pauta, para conhecer melhor a realidade, nos seus vários aspectos, e ver como podemos, enquanto legislativo, contribuir com a melhoria desse cenário”, destacou a vereadora.

A audiência acontecerá de forma híbrida, e a discussão pode ser acompanhada pelo site da Câmara ou pelo canal oficial do YouTube.

Redação Gabinete Paraíba com ASCOM/Jô Oliveira

[Homilia do Trabalhador] Pensei que era mais uma doutrinação marxista, mas era a Bíblia

Por Wéverton Correia

Passei o dia 1° de maio inteiro em casa, tentando produzir alguma coisa, no meu tempo de ócio criativo (mesmo que forçado, eu confesso, por conta do necessário isolamento social).

Durante o dia pude ver várias manifestações nas redes sociais acerca desta data tão importante, e equivocadamente atribuída por alguns ao “Trabalho”, quando na verdade, é o Dia do Trabalhador.

“Os Operários” (1933) de Tarsila do Amaral.
Foto: Reprodução.

Dentre os posicionamentos com os quais me deparei ao longo do dia, um me fez refletir bastante e foi do vereador, médico e ativista paulistano, Carlos Bezerra Jr. Tratava-se de um post no Twitter, que dizia o seguinte:

“Não vamos produzir resultados diferentes fazendo as mesmas coisas. Enquanto houver exploração vendida como oportunidade. Enquanto auxílio emergencial for tido como ato de benevolência e não obrigação. Enquanto crise é tida como oportunidade para lucrar mais, continuaremos a colher mais miséria, mais exploração e pior: mais desesperança. Hora de valorizar mais quem faz e menos quem manda fazer”, escreveu o parlamentar.

Entretanto, que o que me chamou mais a atenção, foi o texto que o Carlos havia compartilhado antes, nas stories do seu Instagram, também em alusão ao Dia do Trabalhador. Um texto descrito na epístola bíblica atribuída a São Tiago, capítulo 5, versículo 4, observe um trecho:

“A diária dos trabalhadores, que não pagastes aos que ceifaram vossos campos, ergue o grito; o clamor dos ceifadores chegou aos ouvidos do Senhor dos Exércitos.”

Antes do versículo 4, o texto já vem falando sobre a justiça de Deus contra os ricos em relação aos seus trabalhadores, do versículo 17, do capítulo 4, ao verso 6, do capítulo 5.

“Quem sabe fazer o bem e não o faz é culpado. E agora cabe aos ricos: Chorai e gemei por causa das penas que se aproximam de vós. Vossa riqueza está podre, vossas vestes estão comidas pela traça, vossa prata e ouro estão corroídos; sua ferrugem testemunha contra vós, consumirá vossas carnes como fogo. Entesourastes para o fim do mundo. A diária dos trabalhadores, que não pagastes aos que ceifaram vossos campos, ergue o grito; o clamor dos ceifadores chegou aos ouvidos do Senhor dos Exércitos. Vivestes na terra com luxo refinado; cevastes vossos corpos para o dia da matança. Oprimistes e matastes o inocente. Não resistirá Deus contra vós?”, declara o texto.

Olhando a atual conjuntura política nacional e jogando em um dos muitos grupos de WhatsApp ou do Facebook dos brasileiros e brasileiras “patriotas” – que inclusive foram às ruas ontem, autorizar o próprio abate –, este texto pode facilmente ser confundido com um texto de orientação ideológica marxista, pois é frontalmente contra todo tipo de acúmulo de riqueza, exploração da mão de obra alheia, opressão de inocentes, remuneração desonesta, dentre outras coisas.

A verdade é que este texto foi escrito pelo autor cristão por volta do final do I século d.C. e é uma clara afirmação da justiça divina contra a injustiça e contra as riquezas indevidas.

O escrito é tão real e atual que chega a parecer uma profecia atemporal, diante da situação do mundo capitalista, onde apenas no Brasil (o último país a abolir a escravidão nas Américas), nos últimos 25 anos, 55 mil trabalhadores foram resgatados do trabalho escravo contemporâneo, de acordo com as informações obtidas da Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT), do Ministério da Economia. Em 2020, esse número foi de 942 trabalhadores resgatados, embora as Nações Unidas afirmem que o Brasil ainda é um exemplo, ao longo dos anos, contra a exploração e o trabalho escravo. Então dá pra ver que em âmbito internacional o negócio é ainda mais feio.

Mas falando ainda do Brasil, o dia do trabalhador foi um dia sem muito a comemorar, pelos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros, pois não sabem mais quando irão se aposentar, graças à reforma da previdência, têm seus trabalhos precarizados, graças à reforma trabalhista e devido ao momento pandêmico e a inércia do Governo, perderam seus empregos, causando uma taxa de 14,2% de desemprego no país, de acordo com dados do IBGE. Por outro lado, vários microempresários (que não são os ricos, embora alguns pensem que sim) tiveram que fechar suas portas em 2020, um número que chega a 600 mil micro e pequenas empresas fechadas. Aliado a esses fatores, cresce o número de pessoas em situação de extrema pobreza na nação, com um total de 27 milhões, cerca de 12,8% da população de brasileiros e brasileiras tentando sobreviver com o valor irrisório de R$ 246,00, de acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Enquanto o Governo Estadunidense e vários outros países ao redor do mundo começam a propor iniciativas sociais efetivas para sanar os problemas de seu povo, o Governo Brasileiro, contudo, nenhuma ação tem feito quanto a esta situação e continua a mendigar e postergar o valor do auxílio emergencial, sofrendo pressão do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional, ao passo em que milhares de brasileiros morrem senão de Covid-19, pela fome que assola e assombra novamente o país.

E pra melhorar ainda mais o enredo, mesmo diante de tamanha crise, em 10 de abril deste ano, a Forbes listou 10 novos brasileiros que ingressaram no hall da fama dos Bilionários do Mundo, que somam juntos um amontoado de 21,2 bilhões de dólares. Os brasileiros agora são em número de 65 pessoas nessa lista, contando com um patrimônio de 219,2 bilhões de dólares. O que o Governo faz em relação a isto? Absolutamente nada. Nunca fez! Nenhum dos que passaram pela Presidência da República.

Cachorro Dólar. Imagem: Reprodução.

O futuro do país sempre esteve nas mãos dos mais ricos, detentores do capital, da mídia e do poder estatal, que são os mesmos que exploram e trabalham na alienação dos trabalhadores, junto aos crápulas ditos religiosos, falsos profetas apocalípticos, fariseus de nossos dias, que enganam e lucram inenarravalmente com a honestidade e as contribuições de parcela do nosso povo, que estão entre seus fiéis, o que difere totalmente dos ensinamentos e dos padrões bíblicos.

E aí, diante de todas estas coisas abomináveis, remontamos ao texto neotestamentário, às palavras de São Tiago (possivelmente o irmão humano de Jesus Cristo), líder da Comunidade cristã primeva de Jerusalém – que ora expomos nesta breve homilia dominical – e nos perguntamos: será que os ricos com sua exploração aos trabalhadores, continuarão a imperar e a resistir? De acordo com as impiedosas palavras bíblicas do apóstolo, seu fim não será dos melhores. Olha só, quantas lições! E eu pensando que era mais uma doutrinação marxista, mas era apenas um texto bíblico.

Como não há de se esperar benevolência por parte do Estado nem dos ricos, depois desta mensagem, eu espero que seu fim esteja próximo, seja por intervenção divina ou por força popular (ou ambas, imagine)!

S. Tiago, o Justo. Imagem: Reprodução.

Com as palavras de outro judeu, este do século XIX, encerro nossa homilia, neste domingo de Nosso Senhor, desejando um excelente dia aos trabalhadores que oram e laboram como este que vos escreve: “trabalhadores de todo mundo, uni-vos!”

Pronatec abre seleção com 91 vagas para professores bolsistas

A Secretaria de Estado da Educação e da Ciência e Tecnologia, por meio da Gerência Executiva de Educação Profissional (GEEP), divulgou no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (14) o edital retificado da seleção com 91 vagas para Professor Bolsista do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC). As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo link: http://bit.ly/pbtec até sexta-feira (16). O resultado será divulgado no dia 28/4 no Diário Oficial e no site do Paraíbatec.

As vagas são distribuídas para os cursos de Técnico em Guia de Turismo; Técnico em Segurança do Trabalho; Técnico em Programação de Jogos Digitais; Técnico em Eventos; Técnico em Administração; Técnico em Informática; Técnico em Contabilidade; Técnico em Marketing; Técnico em Confeitaria; Técnico em Informática e Técnico para Informática em Internet. O início das aulas está previsto para o mês de junho.

Serão contempladas 16 cidades da Paraíba nas quais os professores irão atuar: Boqueirão, Cabedelo, Cacimba de Dentro, Cajazeiras, Campina Grande, Conceição, Conde, Curral de Cima, Guarabira, Itaporanga, João Pessoa, Mamanguape, Monteiro, Patos, Sousa e Sumé.

Poderão participar da Seleção Pública Simplificada, para exercer o encargo de Professor Bolsista, profissionais da rede pública estadual, federal, municipal ou privada que atendam aos perfis básicos de formação da disciplina e área de conhecimento disponíveis no edital. 

A seleção se dará por meio de avaliação curricular, com caráter eliminatório e classificatório. A carga horária para o desenvolvimento das atividades exercidas pelos professores será de 16 horas semanais, com horas-aula de 60 minutos. 

Os professores selecionados serão remunerados na forma de concessão de bolsas, de acordo com o número de aulas efetivamente realizadas. O valor da bolsa por hora-aula varia de R$35 a R$50, de acordo com titulação comprovada no ato da inscrição. A gestão pedagógica e financeira desta oferta de cursos é realizada inteiramente pela Secretaria de Estado da Educação e da Ciência e Tecnologia.

O edital está disponível no link.

Com informações do Governo da Paraíba